IPS retoma atividades letivas com ensino à distância

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) vai retomar as atividades letivas através das tecnologias digitais já a partir de quinta-feira, 26 de março.

“O início das atividades de ensino à distância em todas as escolas e cursos está já agendado para o próximo dia 26 de março e, nesse sentido, o grupo de trabalho entretanto criado para o efeito tem estado reunido para definir as condições técnicas e pedagógicas em que o regime alternativo de aprendizagem irá funcionar”, refere uma nota de imprensa divulgada pelo IPS.

“Potenciar o ensino prático, uma das marcas distintivas do IPS, criando as condições para que os estudantes tenham acesso a ‘software’ específico em casa, é para já uma das grandes preocupações desta equipa, que integra docentes de todas as cinco escolas superiores do IPS”, lê-se no mesmo comunicado.

O estabelecimento instituiu também um novo canal de comunicação entre os estudantes e a Divisão Académica, assegurando o atendimento à distância através de chat na plataforma Teams, disponível de segunda a sexta-feira, e propõe-se a manter as consultas de apoio psicológico, que já estavam disponíveis, mas agora em regime de atendimento à distância, para estudantes, trabalhadores docentes e não docentes.

A nota de imprensa refere ainda que o instituto está “consciente de todas as perturbações decorrentes deste esforço de contenção da pandemia” de Covid-19 e adianta que foi também instituído “um regime de ‘take-away’, com entrega individual de refeições no refeitório e bares” das escolas superiores, em Setúbal e no Barreiro, no mesmo distrito.

De acordo com o IPS, na residência de estudantes de Santiago, em Setúbal, onde permanecem alojados 120 estudantes, também estão a ser entregues diariamente refeições completas sem qualquer custo.

O IPS diz ainda não ter conhecimento de qualquer caso diagnosticado com Covid-19 na comunidade académica, entre os seus familiares ou relações de proximidade, e salienta que todos os estudantes e trabalhadores recém-regressados do estrangeiro foram devidamente sujeitos a distanciamento social, permanecendo em casa pelo período recomendado.

O presidente do instituto, Pedro Dominguinhos, num comunicado interno, apelou a todos os elementos da instituição para que mantenham uma conduta de “muita vigilância e responsabilidade”, mas “sem alarmismos”, lembrando que o politécnico, “enquanto comunidade académica que vive para o desenvolvimento e melhoria contínua da sociedade, deve ser exemplar nesta matéria”.