Transtejo e Soflusa com novos horários e sem necessidade de validar títulos

A administração da Transtejo e da Soflusa informou que vai implementar “horários de serviços mínimos” a partir desta segunda-feira em todas as ligações fluviais no rio Tejo, não sendo necessária a validação do título de transporte.

Em comunicado, a administração das duas empresas indicou que os novos horários “foram definidos tendo em conta o cumprimento do limite de passageiros transportados em cada viagem” (um terço da lotação do navio), de forma a “garantir a indispensável distância social de segurança entre passageiros e tripulações”.

A medida faz parte do plano de contingência das duas empresas para contenção da Covid-19 e visa “ajustar a oferta ao estado de emergência do país”. Neste sentido, a administração decidiu também desbloquear os torniquetes de acesso ao embarque em todos os terminais e estações fluviais, “com o objetivo de limitar ao máximo o contacto de cada passageiro com equipamentos e superfícies”.

“A partir de 23 de março deixa de ser obrigatória a validação do título de transporte e o passageiro tem apenas de empurrar o torniquete, com o corpo, para poder entrar na sala de embarque”, explicou.

O plano de contingência Transtejo e Soflusa entrou em vigor em 5 de março, com medidas como a “desinfeção de todos os terminais, estações e frota”, o reforço da limpeza de superfícies, o encerramento das bilheteiras e a distribuição de solução gel desinfetante nos navios.

Segundo a administração, até hoje “não se registou qualquer caso suspeito relacionado com passageiros nem foi reportado qualquer caso suspeito relacionado com trabalhadores”.

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão a Lisboa, enquanto a Soflusa garante a travessia entre o Barreiro e o Terreiro do Paço (Lisboa).