Autoeuropa solidária com os hospitais na luta contra a pandemia

A construtora automóvel utiliza a tecnologia de ponta de impressão 3D para dar um suporte importante ao pessoal médico que combate a doença.

O novo coronavírus parou a Autoeuropa, agora é a Autoeuropa que quer ajudar a parar o coronavírus. Com a produção automóvel suspensa desde 16 de março e a retoma dos trabalhos apontada para dia 6 de abril, a fábrica de Palmela tem investido esforços e recursos na produção de viseiras, a serem entregues ao pessoal médico da região. A primeira entrega, de cerca de 70 unidades, está agendada para esta quarta-feira.

Esvaziada dos seus quase 6.000 trabalhadores, a unidade tem recebido um grupo de voluntários disponíveis para utilizar a capacidade de impressão 3D da empresa na ajuda à contenção da pandemia. Fausto Dionísio, membro da Comissão de Trabalhadores, garantiu ao Público que a equipa continuará a produzir os equipamentos “enquanto houver material”. O destino será os hospitais de São Bernardo, em Setúbal, e o de Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro.

A Alemanha já tinha pedido às construtoras nacionais que ajudassem na produção de equipamento médico, como máscaras e ventiladores, avançava a Bloomberg no último domingo, com um porta-voz da Volkswagen a admitir que, apesar deste tipo de equipamento ser algo completamente novo para a empresa, esta poderia começar a produção assim que recebesse a informação necessária.

Recorde-se que a unidade de Palmela da construtora alemã já tinha doado viseiras e fatos aos hospitais de Santa Maria e Curry Cabral, em Lisboa, na fase inicial do surto.