Projeto de 260 milhões na mina Neves-Corvo está parado

A suspensão é temporária e pretende mitigar o impacto da doença na sua força de trabalho, que inclui funcionários de outras zonas do país e do mundo.

O projeto de expansão da mina Neves-Corvo, em Castro Verde, sob a concessão da empresa Somincor – Sociedade Mineira de Neves-Corvo, SA, foi suspenso devido ao surto do novo coronavírus. O investimento está avaliado em 260 milhões de euros e pretende aumentar a produção de zinco naquele depósito mineral.

A informação da suspensão das “actividades de construção e comissionamento relacionadas com o Projeto de Expansão do Zinco” foi avançada à Lusa pela empresa sueca Lundin Mining, proprietária da Somincor. O objetivo, segundo Marie Inkster, presidente da empresa, é “reduzir o risco” de infeção nos trabalhadores e locais.

“Como a força de trabalho do projeto inclui muitos trabalhadores de empreiteiros que viajam de outras regiões de Portugal e de outros destinos internacionais, o risco é que o vírus possa ser levado para a região do Alentejo”, explicou Inkster.

Ao que dá conta o Porto Canal, a Lundin Mining está a monitorizar e a implementar medidas nas suas operações, para dar continuidade ao negócio e reduzir o potencial impacto da doença, seja na cadeia de abastecidades, atividades comerciais ou financeiras.

Segundo a presidente da empresa sueca, ainda “não se registou qualquer impacto significativo” nas operações, estando a companhia “bem posicionada para manter a estabilidade”.