Redondo leva “à porta” medicamentos, alimentos e rações para animais

Medicamentos, alimentos e rações para animais, neste caso desde que o pedido “não seja exagerado”, são entregues pela Câmara de Redondo “à porta” de idosos mais frágeis ou isolados, devido à pandemia da covid-19.

“Não deixamos ninguém de fora. Há montes, é pequenas povoações, pequenos aglomerados, vamos a todos os lados”, disse à Lusa o presidente do município de Redondo, António Recto.

Segundo o autarca, este serviço de entregas é assegurado por funcionários da câmara e envolve também a junta de freguesia da sede de concelho, estando igualmente a junta de freguesia de Montoito “disponível” para colaborar.

“Fizemos o contacto direto com as pessoas”, mediante um levantamento “através do Cartão do Idoso e daqueles que participam na Universidade Popular”, explicou. Dependendo “das necessidades de cada um”, assim a autarquia distribui “bens alimentares e medicamentos”, que “leva à própria casa” dos interessados.

“E algumas rações para animais também, desde que não seja exagerado. Levar uma saca de farinha para galinhas já nos foi solicitado”, disse António Recto.

Um total de 20 domicílios, abrangendo cerca de 50 pessoas, já foi “visitado” por este serviço camarário, contribuindo para manter as pessoas em casa e assegurar algumas das suas necessidades básicas.

O objetivo é “mantermos as pessoas, principalmente as que são mais vulneráveis, nos seus domicílios. São os funcionários da câmara que vão lá buscar as receitas, aviam os medicamentos e tornam a ir levá-los”.

Nos bens alimentares, o processo é idêntico: “São adquiridos aqui no comércio tradicional, de uma forma rotativa”, para que “todos sejam também envolvidos nestas medidas”, acrescentou.

Trata-se de “um alívio” para os idosos e para os habitantes mais isolados, porque, senão, teriam “dificuldade em adquirir alguns bens essenciais, principalmente medicamentos”, disse.

“Virem aqui para as filas das farmácias é complicado, até porque grande parte deles tem mobilidade reduzida” e, “uma vez que a câmara se disponibilizou e criou este serviço, é evidente que as pessoas levam o tempo a agradecer”, frisou, manifestando-se confiante de que, com o passar dos dias, o número de pessoas abrangidas ainda aumente.