Hospitais públicos e privados de Setúbal unidos no combate à pandemia

Os hospitais públicos e privados de Setúbal estão a colaborar no combate à Covid-19 e as unidades hoteleiras disponibilizam alojamento para os profissionais mais expostos.

“O acordo entre as administrações hospitalares prevê a eventual transferência de doentes não Covid do Hospital São Bernardo (hospital público covid) para o Hospital da Luz (hospital privado não-covid)”, disse José Luís Bucho, coordenador da Proteção Civil Municipal à Lusa.

“Permite também o aproveitamento da capacidade hospitalar instalada no concelho antes de se recorrer a hospitais de campanha e à instalação de tendas, que são menos confortáveis, além de terem de ser devidamente equipadas”, acrescentou.

De acordo com o responsável da Proteção Civil de Setúbal, para libertar camas no Hospital São Bernardo também foi estabelecido um acordo com o Hospital da Arrábida, em Azeitão, que irá receber 12 doentes daquela unidade hospitalar que necessitam de cuidados paliativos, da mesma forma que a Segurança Social se comprometeu a encontrar solução para outros cinco doentes, que deverão ser colocados em lares públicos e privados.

A par da preocupação em proporcionar as melhores condições possíveis aos doentes, a Proteção Civil Municipal também procura proporcionar algum conforto aos profissionais de alguns setores mais expostos à Covid-19 (saúde, forças de segurança, cruz vermelha e bombeiros), alguns já instalados em unidades hoteleiras do concelho.

“Há profissionais de saúde e das forças de segurança que não querem ir para casa, com receio de contagiar os familiares, e que já estão alojados na Pousada de Juventude (neste momento são apenas quatro, mas já foram 16) e também no Hotel da Escola de Hotelaria de Setúbal (15 pessoas)”, justificou José Luís Bucho.

“Caso seja detetado algum lar com grande número de casos da Covid-19, há a possibilidade de colocarmos algumas pessoas não infetadas desses lares em unidades hoteleiras, desde que essas pessoas tenham alguma autonomia e mobilidade, enquanto se procede ao tratamento daqueles que estão infetados no interior desses mesmos lares”, disse.

O coordenador da Proteção Civil Municipal sublinhou ainda a disponibilidade demonstrada por diversas unidades hoteleiras do concelho, com mais de 1.200 camas, para ajudarem no combate à pandemia.

“Se a propagação da pandemia se agravar no concelho de Setúbal, temos ainda a possibilidade de instalar um hospital de retaguarda no Instituto do Emprego e Formação Profissional, mas, neste momento, não é necessário, até porque existe um entendimento entre as administrações do Hospital São Bernardo e do Hospital da Luz”, acrescentou.