Construção do Edifício da Escola Superior de Saúde – Um projeto que não pode continuar a ser adiado

Foi em 2000 que a Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal, a primeira no panorama nacional do Ensino Superior em Portugal, foi criada, celebrando-se este ano o seu 20º aniversário.

O caminho percorrido orgulha o ensino superior em Portugal, o Politécnico de Setúbal e a região em particular. A sua capacidade de afirmação nas diferentes áreas da saúde, o seu reconhecimento nacional e internacional, a procura elevada por parte dos estudantes e das famílias, a par de um modelo de ensino inovador, permitiram formar mais de 3.000 profissionais em Enfermagem, Fisioterapia e Terapia da Fala.

O processo de ensino aprendizagem, baseado numa elevada robustez científica e numa forte componente prática, em contexto real de trabalho, e com projetos desenvolvidos na e com a comunidade, permite desenvolver competências relevantes e fortemente valorizadas no mercado de trabalho e nos contextos de saúde. São profissionais reconhecidos nacional e internacionalmente, com uma taxa de empregabilidade na ordem dos 99%, a mais elevada entre todas as escolas de saúde em Portugal.

Os projetos de investigação desenvolvidos possuem um forte impacto na comunidade científica e na região, alicerçados numa elevada qualificação científica e técnica dos seus docentes, destacando apenas três. O projeto Split, em parceria com o ACES Arrábida e a Faculdade de Medicina da UNL, que desenvolveu uma metodologia que permite melhorar a qualidade da prática e o custo-efetividade dos serviços prestados aos utentes com lombalgia que recorrem aos cuidados de saúde primários

O projeto vocologia do Fado, inédito no panorama nacional, que desenvolveu, após gravação de mais 100 vozes de fadistas, a Escala de Apreciação da Voz Cantada – EAVOCZ, um instrumento de estudo áudio-percetivo da voz dos fadistas que permite caracterizar a voz cantada à luz de critérios científicos e também artísticos. Ou ainda o Projeto PReSaMe, desenvolvido por docentes e estudantes de Enfermagem, em estreita articulação com as Plataformas Supraconcelhias da Península de Setúbal e Alentejo Litoral, que caracterizou as respostas na área da saúde mental nestes territórios.

O projeto inovador e humanista é reconhecido pela sociedade, e tem sido concretizado sem instalações próprias, e apenas possível pela estreita colaboração existente entre todas as escolas do IPS na disponibilização de instalações, mas que cria constrangimentos significativos e que neste momento impedem o crescimento que o Politécnico de Setúbal almeja, que a região necessita e que a Escola de Saúde pode proporcionar, designadamente através de clínicas pedagógicas, dirigidas à sociedade, alargamento da oferta formativa e investigação aplicada.

O projeto de construção da ESS/IPS esteve previsto em sede de PIDDAC e OE, tendo sido abandonado pelo poder político. Em 2019, a Assembleia da República reconheceu esta carência e aprovou a resolução 115/2019 onde considera fundamental dotar o IPS de uma Escola de Saúde capaz de oferecer aos seus estudantes, docentes e não docentes uma infraestrutura que dignifique e crie as condições para um ensino de excelência na área da Saúde. Este projeto torna-se ainda mais relevante face ao período pandémico que atravessamos e aos investimentos previstos para a região na área da saúde, designadamente com a construção do Hospital do Seixal.

O Conselho Geral do IPS aprovou na sua última reunião uma moção, dirigida aos principais intervenientes neste processo, para que a Resolução da Assembleia da República se concretize e que sejam mobilizados os recursos financeiros necessários para a sua construção. É pois, tempo, de todas e todos os deputados eleitos pelo círculo eleitoral de Setúbal se unirem e exigirem que este projeto seja incluído no Orçamento de Estado para 2021. Contamos com o seu empenho, dando resposta aos anseios das populações que os elegeram. A Escola Superior de Saúde, o Politécnico de Setúbal e a região precisam e merecem.

Pedro Dominguinhos
Presidente do Instituto Politécnico de Setúbal