Exportações de pequenos frutos batem recorde em 2020 e atingem 247 milhões

Produtos das empresas instaladas no Sudoeste Alentejo contribuem fortemente para as transações comerciais com o exterior.

Os pequenos frutos são campeões das exportações hortofrutícolas nacionais. Desde 2015, que a venda para os mercados internacionais triplicou, crescendo tanto em valor como em quantidade.

De acordo com os mais recentes números publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), entre janeiro e dezembro de 2020, as exportações dos pequenos frutos nacionais, como framboesas, amoras, mirtilos e morangos, cresceram 5,5 % em valor face ao ano anterior.

As vendas atingiram os 247 milhões de euros, o que “denota a resiliência do setor num período económico muito conturbado”, afirma em comunicado a Lusomorango, a maior Organização de Produtores nacional de frutas e legumes, em volume de negócios e que se dedica à produção e comercialização de pequenos frutos, sobretudo a partir da região do Sudoeste Alentejano.

Os pequenos frutos foram a exceção do panorama marcado pelas quedas das exportações nacionais, que atingiu os 10%.

Luís Pinheiro, presidente do Conselho de Administração da Lusomorango, diz que os pequenos frutos “foram um dos grandes responsáveis pelo crescimento das exportações nacionais e, nesse sentido, o motor da recuperação económica”.

“Também fomos afetados pelos efeitos da pandemia, sobretudo com os aumentos dos custos de produção e de logística, que estão a ser suportados pelos produtores, mas estes números comprovam que a produção agrícola de produtos de qualidade, aliada às modernas, avançadas e ambientalmente sustentáveis técnicas da agricultura de precisão, tem futuro. E, sobretudo, tem um papel fundamental a desempenhar na recuperação económica que será crucial na próxima década”, explicou o mesmo responsável.

Os pequenos frutos mantêm-se, assim, como os campeões das exportações agrícolas nacionais, sendo os produtos da fileira das frutas e legumes mais vendidos ao exterior. Desde 2015, as vendas ao exterior praticamente triplicaram.