Aqui chegados, é preciso continuar Setúbal!

Em duas décadas, Setúbal inverteu o rumo de degradação e recolocou-se na senda do progresso.

Ao longo deste período de tempo, aqueles que estiveram à frente dos destinos do concelho enfrentaram o caos financeiro e organizativo do município deixado pela gestão anterior; a diminuição dos fundos comunitários e dos níveis de comparticipação; uma brutal crise económica, financeira e social, agravada por políticas de austeridade; uma pandemia, cuja plenitude dos seus efeitos ainda está por conhecer.

É neste, sempre difícil, contexto que a CDU enfrenta com êxito, por todos reconhecido, o desafio de modernizar o concelho, atrair investimento, requalificar o espaço público, criar e reabilitar equipamentos culturais e desportivos, dotando-os de uma programação de qualidade, requalificar património histórico, preservar os bens naturais do concelho, envolver as populações na concretização das soluções para os problemas existentes.

Não é possível ser exaustivo, mas não deixo de sublinhar alguns marcos neste percurso: a devolução da frente ribeirinha à cidade, designadamente a praia da Saúde e o Parque Urbano de Albarquel; a compra e reabilitação do Quartel do 11 e a instalação da Escola de Hotelaria e Turismo; a reabilitação do Fórum Luísa Todi; a Galeria do Banco de Portugal; a reabilitação e modernização do Mercado do Livramento; a Casa da Baía; a Casa da Cultura; os postos de Turismo; a pousada da Juventude; a Gráfica, centro de criação cultural; a criação das bacias de retenção na Várzea; a grande obra de reabilitação de um monumento nacional, assumida pelo município, com a recuperação do Convento de Jesus que se encontrava em risco de degradação irreversível.

A tudo isto e ao muito que aqui não cabe, importa ainda referir o trabalho que se realiza com as Freguesias, o movimento associativo, os demais agentes de desenvolvimento que torna possível a tomada de decisões mais conscientes e o envolvimento de todos na construção de soluções. Não é, igualmente, possível ignorar a participação das populações, designadamente no âmbito dos programas: Setúbal Mais Bonita; Nosso Bairro, Nossa Cidade; Ouvir a População, Construir o Futuro que revelam que a participação cidadã pode ser efetiva e determinante para a melhoria das condições de vida.

Perante tudo isto, perante a evidência e a intensidade da transformação operada, de tal ordem que nem os adversários políticos conseguem deixar de reconhecer o alcance do trabalho realizado, é imperativo dizer: Aqui chegados, é preciso Continuar Setúbal!

Como ficou demonstrado na apresentação de André Martins, candidato da CDU à Presidência da Câmara Municipal, há muito a fazer e só a CDU se apresenta com uma visão estratégica, com os protagonistas certos e com proposta credíveis para o concelho e já apontou, entre outras, as seguintes prioridades: a salvaguarda dos valores naturais e patrimoniais, a aposta na mobilidade sustentável e no transporte público, a criação de novas centralidades, a criação de novos equipamentos desportivos e culturais descentralizados, a erradicação de barracas e habitações sem condições, a retoma da gestão pública da água e do saneamento, sempre com o objetivo de continuar a construir mais Setúbal.

João Afonso Luz
Jurista/Gestor