Trabalhadores da Lauak e Mecahers em Setúbal manifestam-se contra deslocalização da produção

Os trabalhadores das empresas do setor aeronáutico Lauak e Mecahers manifestam-se esta sexta-feira contra o encerramento das fábricas em Setúbal e a transferência da produção para Grândola e Évora, anunciou o sindicato SITESUL.

Segundo o SITESUL – Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul, “os trabalhadores da Lauak e da Mecahers desconhecem os planos da transferência e continuam atualmente com a sua vida meio suspensa, sem saberem o que o dia de amanhã lhes reserva”.

As empresas Lauak e a Mecahers, que empregam um total de 500 trabalhadores, anunciaram o encerramento de toda a produção em Setúbal e transferência da atividade produtiva para Grândola e Évora, respetivamente.

De acordo com o sindicato, no caso da Lauak, a transferência para Grândola deverá acontecer até final de 2022, mas a Mecahers pretende concretizar o processo de transferência para Évora ainda este ano, até final do mês de novembro.

A concentração de trabalhadores começou esta sexta-feira às 10h00, junto à entrada do Parque Industrial Bluebiz, no Vale da Rosa, em Setúbal, e conta com a presença da secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha.