A mobilidade é um futuro que começa agora

O Distrito de Setúbal é constituído por zonas urbanas densas, com a maioria do território de componente rural. Cerca de 400.000 pessoas atravessam as margens do Tejo diariamente, outras tantas movimentam-se em circuito interno. É, por isto, um verdadeiro desafio encontrarmos formas seguras e eficazes de conectar pessoas e território, pensando no Distrito como um organismo vivo e dinâmico, em que a eficiência energética e a capacidade do Sistema sejam o objectivo, em alinhamento com a agenda da Comissão Europeia para o Clima e Energia, Inovação, Smart Cities e as metas da neutralidade carbónica 2030.

Para que isto seja uma realidade, o CDS tem trabalhado num conjunto alargado de propostas:

– Estímulo ao transporte não motorizado, um dos traços que caracteriza as zonas urbanas mais desenvolvidas do mundo, a eletrificação da ferrovia e da rede rodoviária, com postos de carregamento eléctrico, distribuídos por todo o Distrito são um verdadeiro desígnio ambiental.

– Implementação de um “Sistema” que priorize a integração e conexão entre os diferentes meios de transporte: aéreo, ferroviário, metropolitano, fluvial e rodoviário; mas, acima de tudo, com uma rede muito alargada de ciclovias e o auxilio de sinais de trânsito inteligentes, capazes de organizar melhor os fluxos, atingindo um funcionamento de elevado grau de eficácia.

– A concretização de um aeroporto complementar no nosso distrito – projecto em que o CDS deixou trabalho feito – permitirá criar a oportunidade para o desenvolvimento acelerado na região, potenciando o turismo e novos negócios. Novas soluções, novas vias de acesso, quer para Lisboa quer para a ligação de todo o arco ribeirinho norte, serão necessárias para benefício das populações e acima de tudo das empresas.

– Potenciar os portos de Sines e Setúbal, através da ferrovia, com a ligação do arco metropolitano de Lisboa – aeroportos e plataformas logísticas – a Madrid e ao resto da Europa é a verdadeira pedra angular para o desenvolvimento do Distrito. O Governo PSD\CDS inscreveu estas prioridades para a competitividade no documento PETI 3+ que teve um consenso parlamentar muito alargado. Os recentes governos de esquerda nunca concretizaram o que se definiu e travaram uma estratégia ferroviária capaz de oferecer soluções aos Portugueses e capaz, também, de reduzir a emissão de CO2.

– A introdução do novo sistema de passes sociais veio proporcionar um benefício e poupança muito relevantes para as Famílias. Importa, agora que estão identificadas as lacunas, criar condições para que TODOS os que vivem no Distrito, litoral ou interior, norte ou sul tenham acesso a transportes públicos adequados. Vamos trabalhar intensamente para corrigir o problema, apresentando propostas para liberalizar o mercado, abrindo as portas a novas empresas, criando condições favoráveis para a total ligação dos territórios à capital de Distrito.

Acredito que é possível fazer muito melhor pelo nosso Distrito e nós temos as pessoas, o conhecimento e a competência para o concretizar.

Agora, é preciso que TODOS acreditem e se assim for, o futuro passa a ser uma realidade presente.

João Merino
Presidente da Distrital de Setúbal CDS/PP