Almada investe 5,2 milhões na rede viária da Charneca e da Costa

Projetos concluídos e aprovados, as intervenções na Avenida do Mar e na Estrada Florestal aguardam apenas que a época balnear termine para que os trabalhos avancem no terreno.

Com uma extensão de cerca de cinco quilómetros, a Avenida do Mar, estrada de atravessamento da Charneca da Caparica que faz a ligação do concelho do Seixal à Praia da Fonte da Telha, vai ter novas infraestruturas de forma a garantir mais segurança e melhor mobilidade.

A requalificação contempla a substituição de cruzamentos por rotundas, criação de ciclovias nos dois sentidos do trânsito, construção de passeios ao longo de toda a via, construção de paragens de autocarros, delimitação de bolsas de estacionamento em zonas que o permitam e substituição da iluminação pública.

Orçado em 2 milhões e 700 mil euros, o projeto de investimento do município – que tem a possibilidade de se candidatar a fundos comunitários para a zona ciclável – prevê ainda a construção de uma rotunda localizada na zona que fica entre os concelhos de Almada e do Seixal.

Já a Estrada Florestal, que serve as praias da Costa da Caparica numa extensão de 4,6 quilómetros, vai ser alvo de intervenção no troço entre a Praça Nossa Senhora dos Navegantes e o cruzamento do restaurante Giramar.

 

Projeto visa o reperfilamento de toda a via de circulação

Esta obra de reperfilamento, onde vão ser aplicados 2 milhões e 500 mil euros, apoiados pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, prevê o alargamento da faixa de rodagem, a introdução de rotundas com ligações nos acessos às praias e a criação de um canal pedonal e ciclável, conversível em corredor de emergência.

Para a presidente da câmara de Almada, as intervenções em causa são, como “constatado” há vários “anos”, fundamentais e urgentes. “Uma constatação pura e simples. É evidente que era urgente lançar estas duas obras, não apenas pelo estado das vias, que são fundamentais, mas também para criar, justamente, mobilidades alternativas. É muito fundamental criar também as zonas de segurança”, disse ao Semmais Inês de Medeiros.

Previstos para arrancar após o término da época balnear, a autarca avançou ainda ao nosso jornal que os trabalhos de requalificação têm que estar concluídos antes do verão do próximo ano. “Esperamos e acreditamos que as obras têm que estar prontas antes da próxima época balnear, isso aí, não haja dúvida nenhuma”, afirmou, explicando a data avançada para o início das intervenções: “Nesta altura não é possível, é bom lembrar que Almada e a Costa de Caparica recebem quase 10 milhões de pessoas durante o verão. Passada esta época já podemos lançar essas duas obras”, no terreno.