Cruzamento na Av. do Bocage com Miguel Bombarda, no Barreiro, vai ser desfeito

A próxima obra, que terá benefícios para o trânsito mas também de caráter ambiental, deve arrancar em 2023. Trata-se de uma futura rotunda numa das principais vias de acesso à cidade e que custará cerca de 300 mil euros.

Após vários anos de negociações, a câmara do Barreiro consegui, esta semana, chegar a acordo com o proprietário de um terreno na Avenida do Bocage, uma das principais vias da cidade, para cedência de terrenos e consequente construção de uma rotunda.

“É uma obra muito importante para a cidade, porque irá permitir desfazer o nó que tem anos, entre a Avenida do Bocage e a Miguel Bombarda. Será fundamental para que o trânsito flua muito mais facilmente dentro do Barreiro”, explicou ao Semmais o vice-presidente do município, Rui Braga.

A empreitada deverá iniciar-se no próximo ano. Até agosto deste ano, deverão estar concluídos os projetos de especialidade e de arquitetura. As estimativas das entidades municipais apontam para um investimento na ordem dos 300 mil euros. “Iniciar os trabalhos no terreno ainda este ano tem a ver, sobretudo, com a existência ou não de margem no orçamento. Não podemos também esquecer que é necessário proceder a alguns arranjos paisagísticos e no solo, arranjos esses que carecem de projetos”, referiu o autarca.

 

Projeto visa tornar a cidade mais ecológica

Para Rui Braga este projeto, que irá dar fluidez ao tráfego, até porque contribui para a retirada de alguns conjuntos de semáforos, destaca-se também pela capacidade que transmite em tornar a cidade mais ecológica. “Queremos que o Barreiro seja, cada vez mais, uma cidade sustentável. Para isso importa que se consiga tornar o trânsito mais fluído e que seja igualmente possível diminuir o número de veículos em circulação”, adiantou.

A aposta da autarquia barreirense passa ainda pela promoção da utilização de transportes públicos como meio preferencial para as deslocações dentro da cidade. Rui Braga entende que, com uma boa oferta de transportes públicos, será possível reduzir substancialmente a circulação de viaturas particulares e, desse modo, evitar a circulação de carros particulares, os quais são responsáveis por uma boa parte da poluição atmosférica e sonora.

“A melhoria da qualidade ambiental é fundamental para que o Barreiro se torne mais atrativo para viver. Com novos residentes surgirão, naturalmente, novas oportunidades de negócio e mais emprego. Melhorando as infraestruturas da cidade, nomeadamente as rodoviárias e dos acessos, melhora-se a qualidade de vida”, acrescentou o vice-presidente do município e responsável pelo setor viário.