O Adiado Aeroporto da AML (Área Metropolitana de Lisboa)

O Novo Aeroporto de Lisboa é uma necessidade sentida desde 1969.

Em todos os estudos a BA6 (a seguir a Rio Frio) foi a melhor solução, tendo mesmo em 1994 sido 1ª, à frente de Rio Frio e OTA (o CTA-Campo de Tiro de Alcochete que nada tem em Alcochete, nem era considerado).

No 1º e 2º estudos foram consideradas respetivamente 6 e 12 alternativas. E a BA6 já opera desde 1953.

1998 o governo decide considerar só a OTA, escondendo a BA6 e Rio Frio. Aí não foi necessária qualquer AAE (Avaliação Ambiental Estratégica) ?

Na sequência da bancarrota de Portugal (2011) a Troika refere não financiar um aeroporto de raíz, e recomenda ao governo aproveitar uma das Bases na região de Lisboa.

Com a preciosa ajuda de MªFátima Rodrigues(Assessora da ANA) reunimos Especialistas Aeronáuticos, para com argumentos técnicos, re-estudar a melhor solução possível. De entre os fatores foram considerados: espaço aéreo, condições terrestres, entre outros. A conclusão reconfirmou que a opção BA6 seria a melhor possível (p.ex.: menores impactos no espaço aéreo, em terra ter 2,5 vezes a área do Aeroporto de Lisboa). Dada a importância para a AML era importante que o Aeroporto Complementar de Lisboa ficasse na Região de Setúbal. Abril de 2012, com a ajuda de Luiz Batista apresentámos no Montijo (de entre 5 alternativas) que aproveitar a BA6 seria a melhor solução.

Final 2012, o Governo Português, seguindo as recomendações do Grupo, decidiu pela opção “aproveitamento da BA6” (Lisboa é das poucas capitais europeias que só tem um Aeroporto Internacional) e deu ao novo concessionário dos Aeroportos civis de Portugal, a possibilidade de escolher o local e valor a financiar. O contrato de concessão com base num Decreto-Lei de 2010 não especificava onde devia ser feito o Aeroporto, nem o valor a financiar pelo concessionário. Assim, o concessionário não é obrigado a fazer em qualquer outro lugar, e aproveitou as recomendações do Grupo, escolhendo aproveitar a BA6 e financiar a sua construção, sem encargos para os Portugueses.

2014, Luciano Fernandes cria o Grupo-Facebook  “Queremos o Aeroporto Sacadura Cabral (Lisboa Sul) na BA6”, onde tenho sido Administrador, com o objetivo de ir informando os seus membros;

2019, EIA aprova a construção do Aeroporto na BA6 (em 2008 o CTA tinha sido contestado por Associações Ambientais, tendo mais problemas ambientais que a BA6).

O Turismo é o maior exportador Português contribuindo com cerca de 10% do PIB Nacional, das maiores do Mundo, e dá emprego a muitos Portugueses, especialmente na AML (Área Metropolitana de Lisboa). Em 2022 verifica-se a antecipação explosiva da procura turísitca na AML (cerca de 500%). E por causa disto, como o processo teve zigue-zagues agora “tocam os sinos de alarme”. E ainda há quem acredite que o Aeroporto de Lisboa saia de lá ?

A média Mundial da distância de Aeroportos Internacionais aos centros das cidades que servem é 22km/25 minutos. A BA6 está a 33km/30 min do centro de Lisboa, quanto mais de Cascais e Sintra. O CTA 66km/90 minutos. Qual a sua competitividade do CTA para servir a AML ?

Os custos previsionais (sem derrapagens) na construção e tempos de construção, acessibilidades e externalidades ambientais ao longo da sua vida útil, são mais de 16 vezes superiores no CTA do que na BA6. Lembre-mo-nos do recente exemplo do Aeroporto de Berlin (e é na Alemanha) que se atrasou 9 anos, os seus custos “derraparam em grande”, e está a 18km do Centro de Berlin, e eficaz rede de transportes.

Uma das empresas ganhadoras do concurso para a desnecessária AAE, defende os interesses do Aeroporto de Barajas (Madrid) é que iria propor a alternativa definitiva ? É compatível ? Será a “machadada final” no HUB aeroportuário de Lisboa ?

E mesmo assim, ainda existe quem insista no CTA, 81% está no Distrito de Santarém ?

Se antes da Pandemia, e desta Guerra que está a enfraquecer a Economia Europeia, já era impraticável concretizar um NAL de raíz, quanto mais agora.

Para já esqueçam o CTA. Talvez daqui a 50 anos ou mais ?

HAJA BOM SENSO !

Caldeira Lucas
Consultor