Deputados do PS defendem comboios de passageiros em Sines

Os deputados do PS eleitos pelo círculo de Setúbal defendem que o Governo deve avaliar o regresso dos comboios de passageiros ao concelho de Sines, naquele distrito, no âmbito das obras de modernização da linha ferroviária.

Em comunicado, os deputados consideram que, com o projeto de modernização em curso, a linha ferroviária entre o Porto de Sines e Ermidas-Sado, no concelho de Santiago do Cacém, pode vir a ser utilizada “para o transporte de passageiros até Sines”.

Assim, sublinham, poderão ser criadas “sinergias na região, apostando de uma forma mais eficaz no transporte público ferroviário”.

Segundo os deputados socialistas, Sines recebe diariamente “cerca de seis mil pessoas, a maior parte delas trabalhadoras”, desde a Área Metropolitana de Lisboa aos concelhos de Odemira, Aljustrel ou Castro Verde, no distrito de Beja.

Contudo, é “no eixo do IP8/IC33 – Sines/Grândola – que tem origem a esmagadora maioria dos movimentos pendulares (casa/trabalho) com destino a Sines”, argumentam, referindo-se a estradas classificadas como itinerários principal e complementar, respetivamente.

Segundo os deputados, muitos dos investimentos que se localizam em Sines criam sinergias em todo o território do litoral alentejano.

“Sobretudo em setores como a energia e o digital, nomeadamente na área das energias renováveis ou no armazenamento e transmissão de dados, sendo Sines o ponto de origem, uma vez que dispõe de infraestruturas de rede de fibra de grande capacidade e com potencial de ligação quer aos principais centros urbanos nacionais, quer a Madrid”, em Espanha, frisam.

Foi neste contexto que os socialistas questionaram o ministro das Infraestruturas e a empresa Comboios de Portugal (CP) sobre “a avaliação da possibilidade de estender a comboios de passageiros os investimentos na ferrovia que vão servir Sines”.

Os deputados Eurídice Pereira, Jorge Seguro Sanches, Maria Antónia Almeida Santos, André Pinotes Batista, Clarisse Campos, Fernando José, Ivan Gonçalves, Bárbara Dias, Gil Costa e Ana Santos querem ainda conhecer quais as ações que estão previstas para esse objetivo.

A modernização da linha ferroviária de Sines, um investimento de 35 milhões de euros, irá adaptar a linha à circulação de comboios até 750 metros de comprimento, cumprindo as especificações das Redes Transeuropeias para o transporte de mercadorias.

Complementarmente a esta intervenção, serão ampliadas as estações de cruzamento na Linha do Sul para permitir a circulação de comboios de 750 metros.