Defesa pede absolvição de jovem acusado de matar padrasto no Seixal

A defesa do jovem acusado de ter assassinado o padrasto com uma faca, em outubro de 2021, em Miratejo, no Seixal, pediu hoje a absolvição do arguido, mas o Ministério Público quer a condenação pelo crime de homicídio qualificado.

De acordo com o Ministério Público, o jovem, na altura com 16 anos, usou uma faca de cozinha para desferir um golpe no peito do padrasto, provocando-lhe a morte.

O crime ocorreu em 21 de outubro, na residência do arguido e da sua mãe, em Miratejo, no distrito de Setúbal.

Hoje tiveram lugar as alegações finais, no Tribunal do Seixal.

O advogado de defesa, Pedro Benamor Marvão, pediu a absolvição do arguido por considerar que o jovem agiu em “legítima defesa ou, no limite, com excesso de legítima defesa, porque usou uma arma letal”.

Em declarações à agência Lusa, pouco depois da sessão, Pedro Benamor Marvão lembrou que já existia um quadro antigo de violência doméstica perpetrado pelo padrasto, quer contra o jovem, quer contra a mãe deste.

De acordo com o advogado, o crime ocorreu na sequência de uma agressão do padrasto, que tentou estrangulá-lo, o que terá sido evitado pela intervenção da mãe do jovem e de uma outra mulher.

Ainda segundo o advogado de defesa, depois de libertado das mãos do agressor, o jovem foi buscar uma faca de cozinha e fugiu de casa, mas foi perseguido pelo padrasto, que voltou às agressões a soco e pontapé ao jovem, até que o arguido lhe desferiu um golpe no peito que lhe causou a morte.

A leitura do acórdão está marcada para as 09h30 do dia 26 de setembro, no Tribunal do Seixal.