Obras da expansão do Terminal XXI do Porto de Sines arrancam

DCIM100MEDIADJI_0030.JPG

O Molhe Leste vai ser aumentado em 750 metros e poderá acolher alguns dos maiores porta-contentores do mundo. A intervenção implica um investimento de 72 milhões de euros.

 

A obra de prolongamento do Molhe Leste do Porto de Sines já está consignada. Trata-se de um investimento de 72 milhões de euros que vai consistir no aumento da estrutura em cerca de 750 metros, permitindo a acostagem de alguns dos maiores navios porta-contentores do mundo e, em consequência, duplicar a capacidade instalada de carga contentorizada. Os trabalhos deverão estar concluídos em 2023.

Em declarações ao Semmais Digital, o administrador do Porto de Sines, José Luís Cacho, apontou as obras de ampliação das estruturas portuárias como um dos fatores que mais otimismo gera para que, num futuro próximo, se verifique no crescimento de movimento portuário. “A expansão do Terminal XXI é um dos fatores que mais otimistas nos deixa. Cremos que o aumento da carga de contentores será muito substancial e que chegará para suprir os decréscimos registados em 2019, na movimentação de cargas energéticas, mas também nos contentores. As previsões são de crescimento”, disse o responsável.

Com data de conclusão prevista para o primeiro trimestre de 2023, o prolongamento desta infraestrutura de proteção criará as condições ideais para a receção, em simultâneo, de quatro dos maiores porta-contentores em operação no mundo, com 400 metros de comprimento fora-a-fora.

Concluída esta próxima fase de expansão, o Terminal XXI duplicará a sua capacidade instalada para 4.1 milhões de TEU (1 TEU = 1 contentor de 20 pés), o que lhe permitirá projetar a sua posição no contexto internacional, melhorando o índice de conectividade aos principais mercados mundiais, numa oferta alargada.

O aditamento ao contrato de concessão para adjudicação da expansão do Terminal XXI foi assinado a 12 de outubro do ano passado, traduzindo-se num investimento totalmente privado por parte da concessionária (PSA Sines) na ordem 661 milhões de euros.