Autarquia quer transformar Nova Setúbal em Cidade do Conhecimento

A Câmara de Setúbal e o The Pitroda Group LLC, liderado pelo empresário e filantropo indiano Sam Pitroda, assinam hoje um protocolo para a elaboração do Plano de Estratégico da Cidade do Conhecimento, no Vale da Rosa.

 

O protocolo prevê a elaboração do Plano de Estratégico da Cidade do Conhecimento numa área global de 180 hectares, com o objetivo de transformar a zona oriental da cidade, conhecida por Nova Setúbal, num território que a autarquia pretende vocacionar para a “inovação, ensino, investigação e troca de conhecimento entre diferentes agentes económicos”.

Na sessão pública da autarquia da última quarta-feira, a maioria CDU e o PSD aprovaram os termos do protocolo, que deverá ser assinado hoje à tarde, nos Paços do Concelho.

Os eleitos do PS optaram pela abstenção, depois de lembrarem outros grandes projetos anunciados pela atual maioria comunista, incluindo o projeto de um grupo chinês que previa a construção de uma marina e de um casino na zona ribeirinha de Setúbal, mas que não se concretizaram.

Nos termos do protocolo que será assinado, cabe ao The Pitroda Group LLC a elaboração do referido Plano Estratégico da Cidade do Conhecimento, que será desenvolvido em duas fases, de diagnóstico e de proposta.

Se a referida proposta for aprovada pelo município, será elaborado um Plano de Pormenor, que será objeto de um novo protocolo entre as duas partes.

A presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, deixa transparecer algum entusiasmo com a perspetiva de requalificação e oportunidade de desenvolvimento sustentável da zona de expansão da cidade de Setúbal.

Maria Dores Meira acredita que a futura Cidade do Conhecimento poderá atrair investimentos na ordem dos “800 milhões de euros”, mas adverte que o Plano Estratégico da Cidade do Conhecimento “terá de respeitar as exigências mínimas do município”.

De acordo com as informações da autarquia, o grupo de Sam Pitroda já terá chegado a acordo com os proprietários dos terrenos da Nova Setúbal, única zona de expansão da cidade, que está limitada pelas áreas protegidas do Parque Natural da Arrábida e da Reserva Natural do Estuário do Sado.

Os terrenos em causa pertenciam ao antigo BPN e neste momento são detidos, maioritariamente, por fundos de investimento do Millennium.

Segundo informações divulgadas pela câmara, “ao longo das últimas quatro décadas, Sam Pitroda desenvolveu a sua atividade no setor das telecomunicações em três continentes diferentes, tendo trabalhado nos Estados Unidos, Europa e Índia, onde, enquanto consultor do primeiro-ministro Rajiv Ghandi, contribuiu fortemente para a transformação das infraestruturas de telecomunicações e tecnologias de informação do país”.

“Com mais de 75 patentes registadas, o Dr. Sam Pitroda criou e liderou diversas empresas nos Estados Unidos, tendo também lecionado nas áreas de tecnologias, desenvolvimento e telecomunicações um pouco por todo o mundo”, acrescenta.

Na Europa, salienta ainda o município sadino, Sam Pitroda “colaborou com a ITU (lnternational Telecom Union) no desenvolvimento de infraestruturas de telecomunicações em países em vias de desenvolvimento, como forma de reduzir as diferenças tecnológicas a nível global”.