Rastreios no Alentejo revelam 82% de risco moderado a elevado de pé diabético

Os rastreios foram realizados pela Associação Protectora dos Diabéticos em Portugal (APDP) em três concelhos do Alentejo, nomeadamente, Alcácer do Sal, Montemor-o-Novo e Vendas Novas.

 

A APDP revela que 82% dos indivíduos rastreados em três concelhos alentejanos tem um risco moderado a elevado de desenvolver pé diabético. Estes projetos verificaram ainda que a prevalência de diabetes nas IPSS participantes é de 23,8%.

“O projeto de Intervenção em Lares e Centros de Dia no Pé Diabético (PEDIAP) e o projeto de Intervenção em Centros de Dia e Domicílios (PEDIAB), realizados pela APDP durante um ano, tiveram como objetivo avaliar, prevenir e tratar o pé diabético através de cuidados de podologia, promovendo assim a diminuição de feridas e amputações”, refere a APDP em comunicado.

Segundo a mesma fonte, as intervenções, realizadas em 18 Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), incluíram o rastreio, com classificação do risco para lesões, os tratamentos necessários aos casos de médio e alto risco e a sensibilização e educação dos cuidadores formais e informais para o pé diabético. Estes projetos contaram com 334 participantes e através deles foram realizadas 37 formações e 638 tratamentos.