Governo anuncia 127 milhões em Alqueva para concluir Programa Nacional de Regadios

Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, revelou hoje que, dos 560 milhões previstos para o Programa Nacional de Regadios, foram aprovados “já cerca de 400 milhões”, tendo anunciado mais 127 milhões.

“São 560 milhões de euros” neste programa e, “neste momento (estão) aprovados já cerca de 400 milhões de euros”, afirmou aos jornalistas a governante, à margem de uma cerimónia em São Manços, no concelho de Évora.

Na deslocação de hoje ao Alentejo, Maria do Céu Antunes, anunciou que, a partir de 10 de janeiro, estará aberto um novo aviso com uma dotação de 127 milhões de euros, que encerra o primeiro ciclo do Programa Nacional de Regadios (PNRegadios).

“Com estes avisos que hoje aqui anunciámos, são 127 milhões de euros para a região de Alqueva” e estas obras representam “a conclusão deste investimento” do PNRegadios, o qual “vai beneficiar cerca de 92 mil hectares em todo o país”, disse.

Ou seja, o PNRegadios, cujos 560 milhões deste primeiro ciclo tiveram financiamento do Banco Europeu de Investimento e da Comissão Europeia (BEI/CE), “vai para além de Alqueva, porque foi em todo o continente que este investimento foi feito”, salientou a ministra.

Este programa nacional é “da maior importância, porque permite uma maior competitividade” dos agricultores portugueses.

“As alterações climáticas e o nosso clima mediterrânico obrigam a um uso da água, mas também a um esforço adicional utilizando tecnologia de ponta, porque a água é um bem escasso, é caro e é necessário utilizá-lo de forma cada vez mais racional e mais eficiente”, lembrou.

E, segundo Maria do Céu Antunes, “é isso que os agricultores têm vindo a fazer ao longo dos anos”, isto é, terem “em atenção a qualidade, mas também a quantidade” de água.

“A quantidade através de uma utilização cada vez mais racional, utilizando a precisão, a rega gota a gota, mas também a qualidade”, fazendo com que Portugal, face à “média de outros estados membros” da União Europeia, tenha sido “dos países que mais reduziu a quantidade de nitratos presentes nas massas de água”, afirmou.

A ministra da Agricultura assistiu hoje, em São Manços, à apresentação das conclusões do estudo “Regadio 20|30 — Levantamento do Potencial de Desenvolvimento do Regadio de Iniciativa Pública no Horizonte de uma Década”.

O aviso anunciado hoje pela governante pretende dar seguimento aos projetos assumidos politicamente para a região de Alqueva, nomeadamente a execução dos circuitos hidráulicos de Messejana (com ligação à albufeira de Monte da Rocha), no concelho de Aljustrel, de Póvoa-Moura, no concelho de Moura, de Vidigueira e de Reguengos de Monsaraz (segunda fase).

Na cerimónia de hoje, Maria do Céu Antunes revelou ainda que o procedimento concursal para a 1.ª fase do Circuito Hidráulico de Reguengos de Monsaraz, no âmbito do PNRegadios, vai ser aberto na 1.ª quinzena de janeiro, num investimento total de 67 milhões de euros.

De acordo com dados do Ministério da Agricultura, os 560 milhões de euros previstos no PNRegadios servem para beneficiar cerca de 91.800 hectares (ha), dos quais 55 mil ha são relativos a novos regadios (396 milhões de euros) e 36.800 ha estão associados à reabilitação e modernização dos regadios existentes (155 milhões de euros).

A estes investimentos, somam-se 8,1 milhões de euros aplicados no reforço de bombagem e em melhorias no aproveitamento de energia fotovoltaica.