Autarquia de Barrancos quer criar centro para dar a conhecer barranquenho

A câmara de Barrancos quer criar um centro interpretativo para dar a conhecer o barranquenho e promover investigação relacionada com o dialeto deste concelho alentejano, revelou à agência Lusa o autarca, Leonel Rodrigues.

O Centro de Interpretação e Conhecimento do Barranquenho é uma das medidas que o município prevê desenvolver para “assegurar o futuro” do falar típico do concelho, explicou o presidente da câmara de Barrancos.

Segundo o autarca, o centro pretende ser um espaço para a investigação e o desenvolvimento de projetos e deverá “concentrar” todo o conhecimento existente e os estudos feitos sobre o barranquenho.

Também pretende ser um espaço para “permitir ao visitante ouvir”, através de registos vídeo e áudio, “conhecer e perceber algo de barranquenho”.

O barranquenho “é muito” fruto da “oralidade e ainda está a desenvolver-se a componente de filologia”, ou seja, o estudo numa perspetiva de história literária e gramatical.

“Ainda é uma questão muito de falar”, porque o estudo da escrita “está em desenvolvimento”, nomeadamente com o objetivo de ser criado o dicionário do barranquenho, no âmbito de um projeto que envolve a Universidade de Évora e o município, indicou.

Trata-se de um projeto que o atual executivo municipal prevê desenvolver ao longo do atual mandato, disse, referindo que o orçamento da Câmara de Barrancos para 2022 irá incluir uma verba para projetar o centro.

Esta valência deverá nascer no edifício do antigo centro de saúde da vila, situado ao lado do Museu Municipal de Arqueologia e Etnografia de Barrancos.

“É preciso avaliar e projetar, ao detalhe, aquilo que tecnologicamente ou de forma museológica pode ser implementado no espaço (do edifício), para que o centro seja visitável e também um complemento” àquele museu, explicou.

Para “assegurar o futuro” do barranquenho, além da criação do centro e do dicionário, o município também pretende criar atividades extracurriculares nas escolas e promover iniciativas, como congressos, para dar a conhecer estudos relacionados com o falar típico do concelho, acrescentou o autarca.

Segundo a câmara de Barrancos, o barranquenho é o resultado do contacto entre o português meridional (o alentejano) com fortes traços das variedades meridionais espanholas (da Andaluzia e da Estremadura).

A origem do barranquenho estará ligada aos assentamentos de súbditos do reino de Castela na Idade Média à volta do Castelo de Noudar, em Barrancos.