Hospital de Portalegre “está a dar apoio” ao hospital de Évora

O hospital de Portalegre “está a dar apoio” ao hospital de Évora, depois desta unidade ter anunciado que tem registado um “extraordinário aumento” de afluxo de doentes nos serviços devido à pandemia da covid-19.

A Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) explica, em comunicado, que através da sua urgência médico-cirúrgica e do seu serviço de urgência da Área Dedicada a Doenças Respiratórias (ADR-SU) “já está a dar apoio” às urgências do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE).

O HESE informou no domingo que as pessoas infetadas pela covid-19, ou os casos suspeitos, não devem ser encaminhadas para aquela unidade, devido ao “extraordinário aumento” de afluxo de doentes nos serviços.

“Devido ao extraordinário aumento de afluxo de doentes na ADR-SU, foi necessário enviar, ontem à noite [sábado], por volta das 20:30, para o centro de orientação de doentes urgentes (CODU) a informação desta situação, dando indicação de que, por este motivo, os doentes covid ou suspeitos covid não deverão ser encaminhados para o HESE”, lê-se num comunicado, enviado no domingo à agência Lusa.

O HESE explicava que esta medida “está a ser reavaliada a cada 12 horas” e que “afeta apenas” os “doentes covid ou suspeitos covid” enviados pelo CODU.

“Todos os restantes (doentes) serão atendidos como habitualmente, pelo que o serviço de urgência geral continuará a dar resposta aos doentes urgentes com outras patologias”, lê-se no documento.

De acordo com o HESE, no sábado à noite estavam internados “69 doentes com Covid-19”, estando “oito” em Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), o que significa “o maior número registado até ao momento” desde o início da pandemia.

“A enfermaria covid-3 iniciou o funcionamento em 23 de dezembro com 20 camas e já está lotada e o espaço da enfermaria covid-1 foi alargado, passando a utilizar o espaço das instalações da futura Unidade de Cuidados Intensivos, num total de 10 camas, que se encontra quase lotada”, acrescentam.