Funcionário usava instalações do Politécnico de Setúbal para minerar criptomoedas

O homem, funcionário do Instituto Politécnico de Setúbal, foi detido pela Polícia Judiciária por mineração de dados (criptomoeda). Usava as redes energética e informática da instituição em benefício próprio.

A Polícia Judiciária de Setúbal identificou um homem, técnico de manutenção do Instituto Politécnico da cidade, a quem é imputada a prática de crimes de acesso ilegítimo, peculato de uso e abuso de confiança.

Segundo o comunicado da PJ, a atividade do suspeito consistia na mineração de dados (criptomoeda), para a qual aproveitava as redes energética e informática da instituição, em benefício próprio e à revelia da universidade.

Os inspetores da PJ fizeram uma busca ao local em pleno funcionamento e detiveram o técnico em flagrante delito. Apreenderam oito equipamentos de mineração de criptomoeda e três routers, dissimulados sobre uma calha metálica, instalada a cerca de quatro metros de altura, no interior da Central Térmica.

Foram também apreendidas três carteiras de criptomoeda registadas nos domínios BlockFi, Coinbase e Blockchain, com activos virtuais no valor estimado de cerca de 20,000.00 euros, e o computador pessoal do suspeito, refere ainda o comunicado da PJ.

O técnico foi constituído arguido com Termo de Identidade e Residência.