Galardão Eco-Escolas hasteado em 95 estabelecimentos do distrito

Concelho de Sesimbra lidera a execução do programa no ano letivo 2020-2021. A bandeira vai ser hasteada em 95 estabelecimentos de ensino do distrito de Setúbal.

Entre as escolas dos 13 concelhos do nosso território que se candidataram ao galardão, no último ano letivo, Sesimbra destaca-se no que diz respeito à execução dos critérios de avaliação. No total, os 16 estabelecimentos de ensino do município que concorreram atingiram 76 por cento da taxa de implementação do Programa Eco-Escolas. Um resultado que, segundo a autarquia, “está muito próximo da plenitude, ou seja dos 100 por cento”.

“Em Sesimbra vão dinamizar o “Programa Eco- Escolas” no ano letivo 2021/2022, 20 escolas, 42 professores e educadoras e 434 Delegados Ambientais (alunos que são eleitos anualmente para o efeito)”, adiantou a mesma fonte.

Na segunda posição do ranking do distrito surge o município de Setúbal, com 56 pontos percentuais na concretização das normas, apesar do número de escolas candidatadas ter sido superior, neste caso 25.  Já o terceiro lugar foi conquistado pelos estabelecimentos de ensino dos concelhos de Almada (21 inscrições) e Barreiro (13 inscrições), ambos com uma implementação do programa de 35 por cento.

Seixal, Moita e Alcochete ficaram pelos 20 por cento, sendo que o Seixal obteve um resultado de 27 pontos percentuais com as 14 escolas inscritas, a Moita atingiu os 24 por cento com oito estabelecimentos e Alcochete, com apenas dois, alcançou os 22 por cento do programa.

Com uma percentagem mais baixa, apenas a ocupar uma casa decimal no quadro das estatísticas do Eco-Escolas, surgem quatro municípios: Alcácer do Sal (9%), Montijo (7%), Santiago do Cacém e Palmela (ambos com 4%).

Para o concelho de Grândola este ano foi de azar, pois a Escola Profissional de Desenvolvimento Rural estava inscrita no programa, mas devido a um problema na direção não conseguiu submeter a candidatura.

“Houve uma mudança na direção da escola e o processo de candidatura apanhou o período da transferência, por este motivo sei que a antiga direção não submeteu o pedido”, explicou ao Semmais a professora Rita Pereira, membro da atual direção.

Apesar do que aconteceu no passado ano letivo, a docente confirmou a participação já este ano: “Temos todo o interesse, até já nos inscrevemos, e estamos a seguir todos os procedimentos para nos inserirmos no projeto Eco-Escolas”.

 

“Geração Depositrão” recolheu 13.500 quilos de resíduos

 

Coordenado pela Foundation for Environmental Education, e implementado em Portugal pela ABAE- Associação Bandeira Azul da Europa desde 1996, o Eco-Escolas é um programa internacional que se desenvolve, atualmente, em mais de 51 mil escolas, envolvendo mais 19 milhões de estudantes, em 67 países.

O objetivo, disse ao nosso jornal a representante da ABAE, Margarida Gomes, “é encorajar ações, reconhecer e premiar o trabalho desenvolvido pelas escolas na melhoria do desempenho ambiental, gestão do espaço escolar e sensibilização da comunidade”.

Segundo a mesma responsável, ao longo do ano, são desenvolvidos alguns projetos do programa, de modo a dinamizá-lo. Uma das atividades foi a recolha de resíduos, no âmbito da sexta edição da campanha “Geração Depositrão”, promovida pela ERP Portugal– European Recycling Platform, em que o nosso território se destacou.

“As Eco-Escolas do distrito somaram mais de 13.500 quilos de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Resíduos de Pilhas e Acumulados, devidamente encaminhados para a reciclagem e/ou tratamento. O top cinco do ranking da performance da região relativo ao peso total de resíduos recolhidos é composto pela EB23 de Cercal do Alentejo, EB23 Luísa Todi, Escola S/3 de Pinhal Novo, Secundária Anselmo de Andrade e Secundária 3º CEB Manuel Cargaleiro” conclui a entidade gestora de resíduos.