Setúbal pesou 5,6 por cento nos lucros da Remax Collection

No ano passado, a Remax Collection, que opera no segmento de luxo, registou um volume de negócios de 1.327 milhões de euros, mais 15,2% que no ano anterior.

O resultado diz respeito a 4.801 transações, 97,9% das quais de compra e venda de imóveis, mais 40,4% que em 2020. Este foi o melhor ano de sempre da imobiliária, superando o ano de 2019, o mais forte até agora.

A maior parte dos clientes da Remax Collection compraram apartamentos, num total de 81,2% do número de transações e 68,1% do volume de negócios. Os T2 e T3 foram os mais procurados ao longo de todo o ano, tendo aumentado a procura pelos T3, tanto apartamentos como moradias.

A atividade da marca concentra-se maioritariamente no distrito de Lisboa, nomeadamente em Oeiras ou Cascais, zona que representou 77,9% das transações. Setúbal representou 5,6%, o Porto 6,6% e Faro 5,1%.

Os clientes portugueses representaram 73,1% das aquisições, logo seguidos pelos brasileiros, com 3,9%, pelos americanos, com 2,8% e pelos franceses, com 2,4%. A empresa destaca que, em 2020, os norte-americanos eram a 4ª nacionalidade estrangeira no número de transações concretizadas, e passou agora para 2ª.