Universidade de Évora vai realizar testes ao coronavírus

A equipa de professores e investigadores vai trabalhar com partículas virais inativadas, evitando riscos de contaminação.

A Universidade de Évora (UE) vai fazer “até 300 testes por dia” à Covid-19 para apoiar o Sistema Nacional de Saúde (SNS). O objetivo é contribuir diretamente “para ajudar na mitigação desta pandemia”, confirma a UE.

A academia vai colocar professores e investigadores de várias áreas, entre elas de biologia molecular, para ajudar o Hospital do Espírito Santo e instituições de apoio a idosos da região, com o envolvimento da Escola de Enfermagem São João de Deus, que vai recolher as amostras.

“É dever de toda a comunidade colaborar, sendo que a Universidade de Évora dispõe de recursos humanos altamente qualificados para a realização dos testes, uma vez que é uma metodologia de biologia molecular, transversal a várias áreas científicas”, avança Maria do Rosário Félix, investigadora responsável do Laboratório de Virologia Vegetal (LVV), em declarações à Renascença.

Segundo o Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento (MED), a equipa de testes vai trabalhar o material genético já com as partículas virais inactivadas, “minimizando a manipulação das partículas virais activas e evitando riscos de contaminação”.

A operação envolve cera de 40 mil euros de investimento.