Associação de Agricultores do Sul incentiva à continuidade da produção

A justificação assenta no acompanhar dos ciclos biológicos de plantação e semeio de plantas, frutas, legumes e cereais, bem como os ciclos produtivos e reprodutivos dos animais.

A ACOS, Associação de Agricultores do Sul, apela à continuidade de produção entre os seus associados, mas sem esquecer o reforço dos procedimentos de saúde e segurança do trabalho. “É preciso dar de comer aos animais e acompanhar o seu normal ciclo produtivo e reprodutivo. É preciso acompanhar o ciclo biológico das plantas, semear, plantar, colher frutas, legumes, cereais”, sublinha a associação em comunicado enviado ao Semmais Digital.

Também os produtos animais dos associados que aderiram aos circuitos de comercialização da ACOS, tanto para o mercado nacional como para exportação, continuam a ser escoados, ao que faz saber no mesmo documento onde garantem que a “Páscoa não foi cancelada”. “Mesmo em casa, e sem a habitual reunião da família e dos amigos, o tradicional borrego ou cabrito”, considera a associação de agricultores, apelando às pessoas que se dirijam aos talhos e supermercados da sua zona de residência em busca de carne de origem nacional.

A proposta é partilhar as experiências gastronómicas de cada um através das redes sociais, e aprender e ensinar a cozinhar seguindo as receitas de pais e avós. A ACOS também divulgou no seu site e na plataforma Facebook diversas receitas de borrego. “Do prado ao prato” é o convite da associação para esta Páscoa, incentivando os consumidores a procurar produtos de origem animal e vegetal produzidos em Portugal.