Unidade de Saúde do Baixo Alentejo retoma atividade programada

A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) anunciou a retoma “gradual e progressiva” da atividade programada no hospital de Beja e nos 13 centros de saúde do distrito e que estava suspensa devido à covid-19.

Em comunicado enviado à Lusa, a ULSBA refere que “está a retomar, de forma gradual e progressiva, a atividade programada, como consultas, exames, cirurgias e outros atos clínicos, “mantendo a resposta e a capacidade de atendimento em segurança de todos os doentes e profissionais”.

“O regresso à atividade regular implica a implementação de várias medidas e procedimentos para garantir a segurança dos utentes e profissionais de saúde” e o “sucesso” da respetiva aplicação depende da colaboração dos cidadãos, sublinha a ULSBA, que gere o hospital de Beja e os centros de saúde de 13 dos 14 concelhos do distrito de Beja, à exceção de Odemira.

Neste sentido, defende, “é essencial a promoção do distanciamento entre pessoas nos espaços e salas de espera, através da redução do número de lugares”, no hospital de Beja e nos centros de saúde do Baixo Alentejo.

Devido ao “menor número de lugares sentados”, os utentes deverão “cumprir com rigor o horário marcado” para a realização de consultas ou exames e “deverão deslocar-se às unidades de saúde apenas com cinco ou dez minutos de antecedência, porque o número de pessoas nas salas de espera é “limitado”.

A ULSBA também pede aos utentes para que só se desloquem acompanhados às unidades de saúde “se for estritamente necessário” e “apenas por uma pessoa para impedir aglomerados” e os utentes ou acompanhantes poderão ter de permanecer no exterior dos edifícios e “deverão estar atentos e aguardarem que os chamem”.

“Outra medida importante para garantia da segurança de todos, e cumprindo as orientações da Direção-Geral da Saúde, é o uso de máscara de proteção” nos edifícios da ULSBA, nomeadamente no hospital de Beja, nos serviços de urgência básica de Castro Verde e Moura, no Centro de Diagnóstico Pneumológico e nos centros de saúde.

Apesar do “retomar da normalidade”, a ULSBA reforça que “deverão continuar a ser privilegiados os canais alternativos de contacto (correio eletrónico e telefone) entre as equipas de saúde e os utentes, devendo as idas às unidades de saúde ser reduzidas aos atos que não possam ser resolvidos sem ser presencialmente”.

A ULSBA informa que, “nesta fase, vão continuar suspensas as visitas e os acompanhantes nos serviços de internamento” do hospital de Beja.

Aos dadores de sangue, a ULSBA informa que o Serviço de Imunohemoterapia do hospital “disponibiliza a possibilidade de agendar a dádiva, com dia e hora definidos, de forma a evitar aglomeração de pessoas”.