Alentejo de Excelência oferece 70 termómetros aos hospitais da região

A campanha foi promovida pela associação cívica Alentejo de Excelência e ficou concluída com a entrega deste material a quatro hospitais da região.

Os hospitais de Évora, Beja, Portalegre e Santiago do Cacém já receberam os 70 termómetros de infravermelhos, adquiridos no âmbito de uma campanha de recolha de fundos, lançada, pela associação Alentejo de Excelência, para auxiliar no combate à pandemia de Covid-19.

“Esta campanha durou apenas nove dias, uma vez que pretendíamos, rapidamente, encomendar os equipamentos para entregar aos hospitais alentejanos”, explica Márcio Guerra, da direção da Alentejo de Excelência, em declarações à Renascença.

“Felizmente, o surto teve uma evolução mais lenta que as previsões iniciais, e os equipamentos chegam agora, numa fase mais tranquila, mas continuam a ser de grande utilidade para prevenção do contágio dos profissionais de saúde que estão na linha da frente”, sublinha o responsável desta associação, sem fins lucrativos, dinamizada desde 2006, e que integra um conjunto de cidadãos civicamente ativos e comprometidos com a região alentejana.

Os primeiros 25 termómetros foram entregues, em abril, ao hospital do Espírito Santos, de Évora, e outros 15, ao hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre.

As restantes 30 unidades foram atribuídas, já neste mês de maio, aos hospitais de Beja, no baixo Alentejo, e de Santiago do Cacém, no litoral alentejano.

“Este contributo, é uma forma da sociedade civil de base dizer, presente e de apoiar, solidariamente, as nossas instituições e os profissionais de saúde, por isso não podemos deixar de agradecer às cerca de 50 pessoas e às 12 empresas e organizações da região que contribuíram financeiramente para que esta doação fosse agora concretizada”, salienta Márcio Guerra.

A necessidade destes equipamentos, recorda à Renascença, a Alentejo de Excelência, “foi sinalizada logo no início da pandemia pelos vários hospitais da região, uma vez que a verificação da temperatura dos doentes, é uma das formas mais comum de se proceder à sinalização de potenciais casos de Covid-19”.

A associação, que “pretende dinamizar e promover iniciativas que contribuam para uma participação ativa e positiva da comunidade alentejana”, vai manter-se em contato com as organizações do Alentejo, manifestando disponibilidade “para apoiar na superação da crise sanitária, económica e social que está em curso”.