Obra fotográfica de Giacometti no Museu do Trabalho

A exposição é inaugurada a 4 de julho e retrata o Portugal interior, entre 1975 e 1977.

As imagens fotográficas que documentam o Plano Trabalho e Cultura, uma das ações do Serviço Cívico Estudantil, liderado pelo etnomusicólogo francês Michel Giacometti, estão patentes a partir de 4 de julho numa exposição organizada pela Câmara Municipal de Setúbal.

É sobre este projeto que estará em exposição no Museu do Trabalho Michel Giacometti, a exposição fotográfica, com perto de cinquenta películas, maioritariamente a preto e branco, que transporta os visitantes numa viagem até aos tempos do Plano Trabalho e Cultura, o qual, entre 1975 e 1977, através do Serviço Cívico Estudantil, pretendeu dar uma resposta para o facto de existirem quase o dobro dos candidatos ao Ensino Superior face às vagas existentes.

Com inauguração agendada para as 15h00, a mostra “45 anos – Plano de Trabalho Cultura e Serviço Cívico Estudantil” revela, entre outros, imagens inéditas de entrevistas realizadas por estudantes, retratos de participantes e dirigentes do Serviço Cívico e de habitantes das aldeias com quem conviveram. Há também registos de festividades e habitações.

O Plano de Trabalho Cultura tinha um cunho vincadamente militante, com traços de “Travail et Culture”, um dos principais grupos de educação popular surgidos no pós-guerra em França e nas suas colónias norte-africanas. Foi construído e supervisionado no terreno por Giacometti, que levou, durante os três meses do Verão Quente de 1975, mais de uma centena de jovens em idade pré-universitária a um Portugal mais profundo e remoto, de Bragança ao Algarve, ao encontro de comunidades rurais e piscatórias.

Os objetivos principais passavam pela promoção da animação cultural e formação de associações e cooperativas e pela recolha etnográfica musical, literária, sanitária e material, constituída por instrumentos de trabalho.

Na sequência destas recolhas existem milhares de fichas dactiloscritas, fotos, objetos etnográficos e instrumentos agrícolas únicos que constituíram o núcleo museográfico fundador do Museu do Trabalho Michel Giacometti.

As fotografias podem ser vistas até 26 de setembro, de segunda a sexta-feira, entre as 9h00 e as 19h00 e aos sábados das 14h00 às 19h00.

Nascido em Ajaccio, na Córsega, em janeiro de 1929, Michel Giacometti foi criado por um tio, funcionário colonial da rota do Império Francês. O etnólogo rendeu-se aos encantos de Portugal, onde viveu, durante mais de trinta anos, até morrer. Dedicou-se à investigação da música popular, viveu para o povo, defendeu a identidade das culturas e das nações e acreditou nas minorias.