Distrito regista esta quarta-feira 2870 casos positivos

Autarcas alertam populações, e sobretudo os jovens, para a necessidade de cumprirem regras de distanciamento e de higiene.

Ascendem a 2870 os casos positivos de Covid-19 detetados no distrito de Setúbal desde que foi declarada a pandemia. Os dados concelhios da Direção Geral de Saúde (DGS), que voltaram a estar disponíveis depois de um interregno de vários dias, mostram que o número de contágios continua a aumentar.

No concelho do Seixal existem agora 732 casos confirmados, enquanto em Almada, o segundo mais afetado, são 714. O Barreiro, de acordo com a DGS, tem 385 casos e a Moita contabiliza 365. Setúbal regista 229 doentes, o Montijo 183, Sesimbra 81, Palmela 79 e Alcochete 32.

Estes valores preocupam os autarcas locais, conforme o comprovaram as declarações, na terça-feira, da presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria da Dores Meira, a qual apelou a todos os residentes, mas sobretudo aos jovens, para manterem as regras de distanciamento seguro e de higiene. É que nove dos 13 concelhos do distrito setubalense integram a Área Metropolitana de Lisboa (AML), a zona do país onde, apesar do anúncio de algum êxito no combate à expansão da pandemia, continuam a surgir diariamente novos casos de infeções.

Nos quatro concelhos do Litoral Alentejano que integram o distrito de Setúbal a DGS informa que há 13 doentes em Alcácer do Sal, 24 em Grândola, 25 em Santiago do Cacém e oito em Sines.

Por regiões, ainda de acordo com o relatório de situação diária da DGS, contam-se 18.215 doentes e 826 mortes no Norte. No Centro são 4319 os infetados e 251 os falecimentos. Em Lisboa e Vale do Tejo há agora 23.296 pessoas com o vírus ativo confirmadas e 550 óbitos. O Alentejo tem 596 doentes e 19 mortes. No Algarve os casos positivos são 750 e os mortos ascendem a 15. O mesmo número de vítimas mortais estão contabilizadas nos Açores, onde também há 151 doentes. Por fim, na Madeira, há a confirmação de 99 doentes e nenhuma morte.

Os casos positivos confirmados no país ascendem agora a 47.426. Há registo de 32.110 pessoas recuperadas. Nos hospitais permanecem internados 478 pacientes, dos quais 68 estão em unidades de cuidados intensivos. Ao todo já morreram 1676 pessoas.