Navigator é a terceira maior exportadora nacional pelo quarto ano consecutivo

A empresa continua no ranking das maiores exportadoras do país, com mais de 90% dos seus produtos a serem vendidos em 130 países dos cinco continentes e permanece como a que mais contribui para o valor acrescentado nacional.

A Navigator foi a terceira empresa portuguesa que mais exportou em 2020, ocupando esta posição pelo quarto ano consecutivo e diz agora ser a companhia que mais contribui para o valor acrescentado do país.

Em comunicado, a empresa liderada por António Redondo, salienta que, apesar do cenário pandémico, continua a ser uma das maiores exportadoras nacionais, com “mais de 90% dos seus produtos a serem vendidos em 130 países dos cinco continentes” e “permanece como a empresa com maior contributo para o valor acrescentado nacional, trabalhando com cerca 5.600 fornecedores nacionais, gerando, de forma direta, indireta e induzida, mais de 30 mil postos de trabalho em Portugal.

“A primeira posição no ranking no valor acrescentado nacional é ocupada pela Navigator, pela incorporação na sua cadeia de valor de recursos endógenos naturais geradas pela floresta”, lê-se na mesma nota.

A Navigator afirma também representar “aproximadamente 1% do PIB nacional, além de cerca de 3% das exportações nacionais de bens”. O documento ainda adianta que os números demonstram que a empresa tem vindo a atuar como um “motor da economia rural, contribuindo para o desenvolvimento das regiões onde opera”.

Como objetivo, a empresa garante estar focada na “criação de valor não apenas para os seus acionistas, mas para a sociedade como um todo”.

Gerindo atualmente mais de 108 mil hectares de floresta portuguesa, a Navigator assume a meta de ser “um impulsionador de economias locais”. No último ano, quase dois mil proprietários florestais arrendaram os seus terrenos à empresa, o que se traduz em 45% do património florestal sob sua gestão.