Câmara de Sesimbra preocupada com atraso na construção da nova Unidade de Saúde da Quinta do Conde

Atraso pode significar perda de meio milhão de euros de fundos comunitários, já aprovados.

A câmara de Sesimbra solicitou, sexta-feira, uma audiência à ministra da Saúde, Marta Temido, para fazer um ponto de situação sobre a construção da nova Unidade de Saúde Familiar da Quinta do Conde. Em comunicado, a autarquia diz que “está apreensiva pela demora no lançamento do procedimento, o que poderá colocar em risco fundos comunitários já aprovados, superiores a meio milhão de euros.

“Este cenário inviabilizaria o equipamento, o que seria dramático para 15 mil utentes da freguesia sem médico de família”, lê-se na mesma nota enviada ao Semmais Digital.

Segundo a autarquia, “os constantes contactos mantidos com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, nos quais foi possível chegar a um acordo que passou pela cedência de duas parcelas do município que, em conjunto com o terreno do antigo Centro de Saúde, propriedade da ARS, permitiram avançar para o projeto e para uma candidatura já aprovada ao PORLisboa 2020, orçada em mais de um milhão de euros e comparticipada em 50 por cento”.

A edilidade lembra também a “colaboração e o forte investimento para a construção da Unidade de Saúde de Sesimbra, em curso, e reforça a disponibilidade em trabalhar em parceria para que a concretização deste importante investimento na saúde primária dos utentes da freguesia da Quinta do Conde seja uma realidade e para que não se perca o financiamento do FEDER, já aprovado para a sua construção”.