Torrestir investe 4 milhões de euros na filial em Palmela

A empresa de Braga, que já emprega 80 pessoas, prevê a criação de mais postos de trabalho no futuro.

A empresa Torrestir inaugurou ontem oficialmente a sua filial em Palmela. Apesar de já estar a trabalhar no concelho há cerca de quatro anos, só agora se reuniram as condições para a inauguração.

Em conversa com o Semmais, Fernando Torres, presidente do Conselho de Administração da transportadora, disse que “Palmela é um sítio estratégico, tem uma câmara que aposta em novos investimentos, e nós queremos ter um serviço mais próximo dos nossos clientes”.

Com cerca de oitenta trabalhadores na filial do distrito de Setúbal, a empresa prevê criar mais postos de trabalho, e tem como objetivos “ter um serviço diferenciado de todos os transportadores, criar mais valias para os clientes como programas de software, novos projetos na logística” e ainda renovar a sua frota de viaturas de cinco em cinco anos, de forma a diminuir a poluição, referiu Fernando Torres, salientando a preocupação da empresa com o meio ambiente.

Com um investimento de cerca de 4 milhões de euros na plataforma de Palmela, o presidente do Conselho de Administração ofereceu 100 mil euros à autarquia de Palmela como contributo para pavimentar a estrada de acesso à estrada nacional 379.

Em resposta, o presidente da câmara, Álvaro Amaro, recordou o projeto HUB 10 – Plataforma Humanizada de Conexão Territorial, uma parceria com as autarquias de Setúbal e Sesimbra para a melhoria das estradas da região, que resultou, em 2014, de um investimento de cerca de 550 mil euros por parte da edilidade que lidera. A segunda fase do projeto vai ao encontro dos interesses da Torrestir, e foi assinado no dia 18 de novembro de 2020. O orçamento para a pavimentação do troço de 3,5 km, ultrapassam 1 milhão de euros.

O edil de Palmela salientou ainda o facto de a abertura da filial da Torrestir no concelho ter atraído outras empresas, e vê a freguesia da Quinta do Anjo como uma ótima aposta, pois para além da “serra, dos produtos tradicionais, da natureza”, é uma freguesia que tem “uma entrada no concelho estratégica, com bons acessos à autoestrada, com a nacional 10 aqui perto, e esta centralidade da Península”.

Álvaro Amaro referiu também que é da responsabilidade do município “criar condições para este ecossistema empreendedor e equilibrado de prestação de serviços, para que o concelho continue a ser um local “apetecível para as empresas”.