Antigo Armazém de Papéis de Setúbal palco da exposição “RASGO”

Promovida pela autarquia sadina, a exposição conta com trabalhos de artistas portugueses e foi desenvolvida no âmbito do projeto Mural 18.

A decorrer até dia 27 de junho no espaço A Gráfica – Centro de Criação Artistas, instalada no antigo Armazém de Papéis do Sado, a exposição tem como objetivo “reavivar a memória e a identidade daquele antigo armazém, onde o papel era a matéria-prima, dando lugar a um espaço, ainda embrionário, destinado à criação artística”, avança a autarquia em comunicado enviado ao Semmais.

Com expressões artísticas como pintura, escultura e instalação, “RASGO” conta com trabalhos de artistas como Rita Melo, Ricardo Crista, Rita Cascais, Vítor Joaquim e dos setubalenses Ricardo Crista e Ana Isa Férias.

A exposição, inaugurada sábado resulta, segundo o município, “de uma residência artística que decorreu durante o último período de confinamento” e pode ser visitada durantes os próximos dois fins de semana, entre as 15h00 e as 18h00.

O projeto no qual se insere esta exposição (Mural 18), é um programa cultural “com ações a decorrer até setembro deste ano” que, de acordo com autarquia, “resulta de uma candidatura apresentada pela Área Metropolitana de Lisboa ao Programa Operacional Regional Lisboa 2020 e conta com uma comparticipação financeira de 1,5 milhões de euros através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional”.

“A Área Metropolitana de Lisboa e os seus 18 municípios pretendem, com a organização do Mural 18, recentrar a atenção na comunidade artística e promover a democratização da cultura, incentivando e assegurando o acesso de todos os cidadãos à fruição e criação cultural no território metropolitano”.

Todos espetáculos deste projeto podem ser visitados gratuitamente através da plataforma digital www.mural18.pt.