CLIT desafia cinéfilos a seguir pistas do novo cartaz cinematográfico

Há estreias mundiais para assistir em locais pouco habituais, três secções competitivas, um homenageado e muitas outras inovações no novo festival de cinema da cidade do Sado.

Uma verdadeira caça ao filme, com pistas lançadas no site oficial sobre os locais onde habitualmente não costumam ser projetadas películas, é o que a organização do novo festival de cinema de Setúbal propõe aos cinéfilos, até ao dia 17 deste mês. Paulo Trancoso, produtor e presidente da Academia de Cinema, vai ser homenageado pelo seu percurso cinematográfico e ambiental.

O CLIT – Cinema em Locais Inusitados e Temporários, uma ideia da Associação Cultural Festroia, com o apoio da câmara de Setúbal e do Programa Cidadãos Ativos/EEA Grants, apresenta um cartaz com 90 filmes, oriundos de 40 países, alguns em estreia mundial e candidatos aos Óscares.

Luís Teixeira, diretor do CLIT, disse ao Semmais que o certame nasceu de “uma conversa entre pessoas ligadas ao Festroia e ao cinema em geral sobre a necessidade de se tentar fazer algo diferente em Setúbal”. Posteriormente, foram contactadas várias entidades com o objetivo obter apoios financeiros para fazer face ao orçamento “Concorremos a várias linhas de apoio que existem para festivais de cinema e conseguimos uma ajuda do Programa Cidadãos Ativos/EEA Grants, que é gerido em Portugal pelas Fundações Calouste Gulbenkian e Bissaya Barreto e financia projetos em países da UE onde a população tem uma baixa taxa de participação”, explicou o mesmo responsável.

Com entradas livres, o CLIT reparte-se em três secções, nomeadamente “Ativa-te” e “Descobre-o”, ambas competitivas, e a “Estimula-te” que, destinada a divulgar os novos talentos, decorre na Casa da Baía, Capricho Setubalense, Auditório Bocage, Inatel, Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal e no Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), o parceiro institucional onde também vão passar os filmes da “Ativa-te”.

Ao nosso jornal, Luís Teixeira sublinha que este é um conceito “completamente diferente” do Festroia. “O CLIT não vai decorrer em salas de cinema nem vai acolher realizadores e atores consagrados, como acontecia no Festroia. Damos, sobretudo, destaque a realizadores que estão a começar e que têm trabalhos de grande qualidade para mostrar”, avançou.

“Queremos que as pessoas voltem a ir a ver cinema, mas em sítios diferentes”, realça, frisando que o certame acontece na altura em que os alunos do IPS iniciam o ano letivo. “É uma forma de terem contato com a escola de uma forma diferente”, argumenta, esperando que as pessoas “respondam ao desafio de forma positiva” e que achem as pistas da secção “Descobre-o” e, assim, encontrarem o local das projeções.