Câmara e juntas de Setúbal exigem rápida normalização dos transportes públicos

Autarquias têm acompanhado com preocupação a situação da nova rede de transportes públicos e desafiam Carris Metropolitana e Alsa Todi a darem explicações.

Dois meses passados do início da operação da Carris Metropolitana, a resposta prestada pela nova rede de transportes públicos continua a gerar insatisfação e a câmara de Setúbal, juntamente com as juntas de freguesia, veio, em comunicado, apresentar um forte protesto.

“O arranque do serviço ficou marcado por falhas e deficiências, ainda não totalmente resolvidas, que põem em causa, de forma inaceitável, a vida de todos os utentes desta rede de transportes públicos”, começa por afirmar a autarquia, revelando que se mantém falhas como “a supressão de horários, os constantes e significativos atrasos no funcionamento de várias linhas e a falta de informação sobre horários aos utentes”.

Dadas estas dificuldades, as autarquias exigem respostas urgentes e a resolução destes problemas, atirando atenções à Carris e à operadora Alsa-Todi. “A Câmara Municipal de Setúbal, as juntas de freguesia do Sado, de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra, de Azeitão e de São Sebastião e a União das Freguesias de Setúbal apelam a que o serviço da Carris Metropolitana no concelho seja rapidamente normalizado e instam a operadora, a empresa Alsa-Todi, a prestar, urgentemente, todos os esclarecimentos necessários e exigíveis sobre as razões que motivam as dificuldades registadas nestes dois meses de serviço da Carris Metropolitana no concelho”, refere a autarquia em comunicado.

A câmara de Setúbal recorda a importância do estabelecimento da Carris Metropolitana, um investimento considerável por parte das autarquias da Área Metropolitana de Lisboa nos transportes públicos. “Foi esta a via que permitiu reduzir significativamente o preço dos transportes com a criação do Passe Navegante, que permite utilizar todos os transportes que prestam serviço público”, argumenta a autarquia.

Apesar de manifestar o seu descontentamento e exigir rápidas respostas, a câmara e as juntas de freguesia “manifestam total disponibilidade para continuar a apoiar a Carris Metropolitana na procura de soluções”.