Existem agora 552 infetados no distrito de Setúbal

O aumento do número de casos confirmados este sábado foi de apenas oito. As campanhas de prevenção permanecem ativas: ninguém deve sair do concelho de residência sem razão válida.

O número de doentes com Covid-19 subiu para 552 em todo o distrito de Setúbal. Um aumento ligeiro face à véspera (apenas mais oito casos), mas que não serve para abrandar as medidas preventivas conforme, de resto, o atestam as operações de trânsito em quase todas as estradas, numa tentativa de evitar as viagens de quem não possui motivos válidos para as realizar e que, desse modo, potenciam o alastramento da pandemia.

O último relatório de situação da Direção Geral de Saúde (DGS) diz que há agora 142 doentes no concelho de Almada e 127 no Seixal, os dois mais flagelados em todo o distrito. O Barreiro tem 74 doentes confirmados e Setúbal 52, mais um do que os foram contabilizados na Moita (51). No montijo contam-se 38 pacientes, em Sesimbra são 17, em Palmela 14 e em Alcochete nove.

Quanto aos concelhos do Litoral Alentejano integrados no distrito de Setúbal, constata-se que se mantém a discrepâncias entre o que é revelado pela DGS e algumas autarquias. Em Grândola, enquanto a câmara municipal refere dez infetados, as autoridades nacionais de saúde dizem que os mesmos são apenas quatro. Também em Sines os números não são coincidentes, pois enquanto o município diz ter dois casos confirmados, a DGS fala em quatro.

No concelho de Santiago do Cacém estão confirmados 11 doentes e em Alcácer do Sal são cinco.

Os deputados socialistas eleitos pelo distrito de Setúbal anunciaram, entretanto, que vão passar a divulgar semanalmente (às segundas e quintas-feiras) na sua página do Facebook os números diários da doença e que são reportados pela DGS. Dizem os eleitos do PS que esta é uma forma de manter as populações informadas e sensibilizadas para as medidas que devem ser seguidas para evitar a propagação da pandemia.

Nas estradas do distrito de Setúbal, tal como acontece em todo o país, mantém-se em permanência equipas da GNR e da PSP que estão a impedir a passagem de todos os que tentam viajar para outras zonas que não as da sua residência sem possuírem motivos válidos (trabalho ou saúde). A operação visa ainda detetar em trânsito pessoas a quem foi detetada a doença. Nesse caso, todos os que forem identificados, incorrem num crime de desobediência, que é punível com prisão.

A nível nacional o número de mortos aumentou para 470, sendo agora mais 35 do que na véspera. Há também 15.987 infetados, o que corresponde a mais 515 do que no dia anterior. As estatísticas da DGS dizem ainda que há 1165 pessoas internadas, das quais 233 estão em unidades de cuidados intensivos. Quanto aos doentes recuperados são agora 266.

Importa ainda referir que a taxa de letalidade da doença, sempre de acordo com a DGS, é de 2,9 por cento, enquanto que a percentagem de vítimas mortais entre as pessoas com 70 ou mais anos de idade é de 10,6.

No que se refere à situação geral do país contam-se 9264 doentes e 258 mortos na região Norte. No Centro há 2327 infetados e 113 vítimas mortais. Em Lisboa e Vale do Tejo os doentes são 3834 e os óbitos 87. No Algarve contabilizam-se 279 infetados e nove vítimas mortais. Também nos Açores há 94 pacientes e três falecimentos. No Alentejo e na Madeira não há mortos, constando, respetivamente, 130 e 59 casos positivos.