Município de Cuba aposta no turismo sustentável

Cuba vai criar um plano de ação para o turismo sustentável e um pacote de oferta turística para melhorar o setor e ajudá-lo a enfrentar a Covid-19 e dar visibilidade ao concelho.

A criação do plano e do pacote vai envolver agentes públicos e privados com ação turística no concelho e decorrer no âmbito do projeto europeu “SuSTowns: Turismo Sustentável em pequenos e fascinantes povoados da área Mediterrânica”, disse à agência Lusa João Português, presidente da câmara de Cuba.

Segundo o autarca, Cuba foi uma das localidades do Mediterrâneo escolhidas pelos promotores para a implementação do SuSTowns e o município, “no âmbito da aposta que tem feito no turismo, aceitou o desafio como uma oportunidade única para promover o turismo sustentável no concelho”.

“Nos últimos anos, o município tem feito uma aposta muito grande na divulgação de Cuba em feiras internacionais, mas também na construção de infraestruturas para a promoção turística do concelho”, frisou.

Além do cante alentejano, vinho, tabernas típicas e da gastronomia, que “fazem parte da identidade de Cuba”, o concelho tem “outras atrações, como o único museu literário do Alentejo”, o da Casa Fialho de Almeida, e o município prevê criar, junto a uma barragem, o Ecopark do Alentejo Central, que terá várias ofertas de recreio e lazer, como uma praia fluvial, disse.

Segundo João Português, a participação de Cuba no projeto vai permitir criar um plano de ação local para o turismo sustentável e um pacote de oferta turística do concelho, “em parceria com municípios espalhados por quase toda a Europa e com base em boas práticas e metodologias”.

Desta forma, frisou, será possível “promover o turismo no concelho de forma sustentável, ou seja, com base na sustentabilidade e na preservação dos recursos e dos patrimónios locais”.

“Vai ser uma oportunidade única de divulgar o que Cuba tem de melhor e ser extremamente importante para dar visibilidade nacional e internacional ao concelho e atrair turistas, mas de forma sustentável”, sublinhou.

O plano também vai permitir informar e capacitar as empresas e entidades com ação turística no concelho sobre medidas que visam melhorar o funcionamento do setor do turismo e ajudá-las na adaptação durante e na recuperação após a pandemia de Covid-19, disse.

No âmbito do SuSTowns, o município e a Make it Better – Associação para a Inovação e Economia Social (miB), um dos parceiros do projeto, iniciam na sexta-feira um ciclo de iniciativas que pretende envolver agentes públicos e privados com ação turística no concelho para “a criação participada” do plano de ação local para o turismo sustentável e do pacote de oferta turística de Cuba.

A primeira iniciativa do ciclo é o workshop “Apoiar e desenvolver o setor turístico local”, que decorre esta sexta-feira, a partir das 17h30, na Casa Fialho de Almeida.

“A ideia é que a criação do plano seja participada por todos os agentes com ação turística no concelho e plural em termos das visões e necessidades detetadas e resulte num documento que ajude cada um dos intervenientes a melhorar a sua performance e a prestar um serviço de âmbito turístico de melhor qualidade e sempre com a lógica de preservar os recursos locais”, explicou à Lusa José Nunes, da miB.

Segundo José Nunes, o SuSTowns vai implicar um investimento total de 2,8 milhões de euros para promover o turismo sustentável em 18 localidades de 14 regiões de sete países europeus situados na costa do Mediterrâneo (Albânia, Croácia, Eslovénia, Espanha, Grécia, Itália e Portugal).

O projeto, que envolve 11 parceiros, visa desenvolver e testar ferramentas e boas práticas de planeamento e gestão turística local para “prevenir o declínio de pequenos povoados”, proteger para “evitar o colapso e a excessiva antropização” de recursos locais e potenciar o desenvolvimento de um turismo sustentável e de serviços turísticos mais inovadores e responsáveis na área do Mediterrâneo.

O SuSTowns já tinha como objetivo ajudar os agentes turísticos “a melhorar a sua performance”, mas o aparecimento da Covid-19 levou a uma adaptação de objetivos para o projeto poder apoiar empresários e entidades do setor do turismo a adaptarem-se durante e a recuperaram após a pandemia, disse José Nunes.