28 surtos e 31 mortos em quinze dias nos lares e residências da região

Em quinze dias morreram de Covid-19, em lares e residências da região, trinta e um idosos. Há, neste momento, 28 surtos ativos e já foram encerrados onze equipamentos ilegais. A vacinação já arrancou em Alcochete e Alcácer do Sal.

Até ontem, quinta-feira, ainda estavam ativos 28 surtos da Covid-19 em lares e residências para idosos do distrito de Setúbal, tendo-se registado desde o início deste mês trinta e uma mortes.

A situação nestes estabelecimentos é “muito preocupante”, segundo a Segurança Social, que continua a atenuar o problema com Brigadas de Intervenção Rápidas e com o arranque da vacinação de utentes e funcionários.

O Semmais sabe que, entre abril do ano passado e 13 de janeiro deste ano, ocorreram no distrito 91 surtos, 85 em estruturas residenciais para idosos, três em casas de acolhimento e outros três em lares residenciais. Estes surtos envolveram no total 1858 utentes infetados com a Covid-19 e 676 profissionais igualmente positivos.

Um dos combates mais prementes da pandemia é a operação de vacinação que, no distrito, arrancou no dia 11 em Alcochete e decorre até esta sexta-feira. Alcácer do Sal começou também ontem a vacinar em lares e residências para idosos. Estes dois concelhos, considerados de “risco extremamente elevado” e de “risco muito elevado”, foram os primeiros a avançar por terem 960 casos ativos por cem mil habitantes.

 

Lares ilegais que foram encerrados não ficaram de fora

Entretanto, a Fiscalização da Segurança Social tinha registado até 31 de dezembro 158 lares sem licenciamento que estão a ser alvo de visitas por equipas multidisciplinares, compostas pela Segurança Social, Saúde Pública e Serviços Municipais de Proteção Civil. “Estes equipamentos constam na lista de respostas residenciais para pessoas idosas consideradas para vacinação”, garantiram ao Semmais as mesmas fontes.

Tal como o nosso jornal já havia noticiado, só em 2020 foram encerrados onze lares ilegais no distrito, sobretudo por falta de condições e de “risco eminente para a saúde e bem-estar” desta população idosa. De registar que nestes casos, os utentes foram colocados em outros locais pelo Centro Distrital de Setúbal da Segurança Social, sendo que alguns idosos foram acolhidos pelas suas famílias.