Comissão Europeia aprova Carta Erasmus do Politécnico de Setúbal com pontuação máxima

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) viu recentemente aprovada, pela Comissão Europeia, a sua Carta Erasmus para o Ensino Superior (ECHE), documento que acredita a instituição para uma participação alargada no programa Erasmus+ para o período 2021-2027 e que obteve a pontuação máxima (100/100).

Segundo o relatório de avaliação, as estratégias de internacionalização e de modernização institucional do IPS revelam-se alinhadas com os princípios do programa europeu, cumprindo na íntegra os três grandes critérios estabelecidos, nomeadamente a relevância da Declaração de Política Erasmus (EPS – Erasmus Policy Statement) proposta, a adesão aos princípios da ECHE e respetiva implementação prática e a qualidade da estrutura de gestão de suporte às ações de mobilidade e de cooperação previstas.

Na candidatura aprovada, o IPS compromete-se a prosseguir com a sua meta de afirmação como “comunidade aberta e internacional, apostada no fortalecimento da interculturalidade, internacionalização e alianças internacionais como via para a plena formação dos seus estudantes e a transformação da sua região”, dando continuidade a uma estratégia assente  no “desenvolvimento de investigação aplicada, de metodologias educativas ativas e de apoio à inovação, num ambiente que se pretende internacional, interdisciplinar, intercultural, intersectorial e inclusivo”.

Para o cumprimento destes objetivos, concorre naturalmente, o facto de o IPS integrar a aliança Universidade Europeia E³UDRES² (Engaged European Entrepreneurial University as Driver for European Smart and Sustainable Regions), em consórcio com outras cinco instituições de ensino superior (IES), da Áustria, Bélgica, Hungria, Letónia e Roménia.

O projeto, que arrancou oficialmente em outubro último, foca-se no desenvolvimento inteligente e sustentável das regiões de influência de cada uma das IES envolvidas, através, nomeadamente, do desenvolvimento de investigação aplicada às necessidades dos atores regionais.

Na Carta Erasmus aprovada com classificação máxima, o IPS compromete-se também a participar em todas as ações Erasmus+ previstas nas tipologias para 2021-2027, em áreas como mobilidade internacional, digitalização e educação a distância, internacionalização em casa, parcerias e projetos internacionais, formações conjuntas e competências linguísticas.

“Alinhado com os novos princípios do programa, o IPS elenca igualmente vários contributos no que respeita, por exemplo, à implementação de uma política de não discriminação, transparência e inclusão, à digitalização dos processos de gestão de mobilidade, ao desenvolvimento de práticas ambientalmente sustentáveis, à promoção de uma cidadania ativa e ao reconhecimento automático de créditos”, lê-se no comunicado.