Câmara de Portalegre reabilita piscina e remove cobertura com fibras de amianto

Autarquia vai requalificar a piscina municipal coberta de “maior utilização” no concelho, num investimento a rondar 1,2 milhões de euros, que inclui a remoção da cobertura, que contém amianto.

Em comunicado, a câmara explica que o auto de consignação para a reabilitação da Piscina Municipal dos Assentos foi assinado na quarta-feira, contando este projeto com um investimento que ronda os 1,2 milhões de euros, a que acresce IVA à taxa legal em vigor.

A obra a desenvolver neste equipamento desportivo, considerado pelo município como o que regista “maior utilização” no concelho, vai ter um prazo de execução de 365 dias e os trabalhos vão abranger várias vertentes.

Em destaque, está a remoção da cobertura das piscinas, feita com placas de fibrocimento que possuem fibras de amianto.

A obra tem ainda como objetivo “melhorar” a eficiência energética do edifício, incluindo o aproveitamento das águas quentes, a climatização do ambiente e o melhoramento térmico do edifício.

A renovação do equipamento de climatização geral, aquecimento geral de águas e aquecimento ambiente, a substituição de pisos, do revestimento das paredes, com um novo mosaico cerâmico, e ainda de todas as caixilharias e envidraçados são outros dos trabalhos.

A edilidade diz ainda esperar “renovar totalmente” a zona de balneários e vestiários, que “necessitam de mais espaço”, de uma “modernização e funcionalidades mais adequadas”, incluindo a criação de um balneário exclusivamente destinado a crianças.

Esta obra é considerada pelo município como “fundamental”, estando a mesma inserida na “estratégia” da autarquia para a reabilitação de equipamentos municipais, desportivos, culturais e do parque escolar.

“A empreitada irá também colmatar uma necessidade premente dos habitantes deste bairro (dos Assentos), nomeadamente a criação de raiz dos novos sanitários públicos”, lê-se na nota de imprensa.