Análise da situação epidemiológica no distrito

Análise de Paulo Lourenço (até à data de 4 de junho)

A Incidência Cumulativa (IC) a 14 dias da COVID-19 no Distrito de Setúbal, comparativamente a 28 de maio apresenta  a 4 de junho uma variação positiva da ordem dos 57%.

A sub-região da Península de Setúbal apresenta aumento de casos (60%) e o Litoral Alentejano apresenta uma redução de casos.

Sesimbra, Seixal e Palmela destacam-se como os concelhos com maior aumento de casos confirmados.

As maiores reduções  de casos são registadas nos concelhos do Montijo (-15%) e Grândola (-74%).

Ao nível do enquadramento na Área Metropolitana de Lisboa, os concelho da Moita e Sesimbra apresentam o maior número de casos por 100.000 habitantes.

PATAMARES DE RISCO

O Distrito de Setúbal mantêm-se no patamar de risco nível 2 (risco baixo) com uma média de 46 casos por 100.000 habitantes a 14 dias. O Litoral Alentejano mantêm-se no patamar de risco muito baixo (nível 1). A Península de Setúbal encontra-se na situação de Risco baixo com 48 casos por 100.000 habitantes (nível 2).