Moura selecionou 305 toneladas de resíduos para reciclagem

O município teve um crescimento de 21 por cento, sendo o segundo que mais cresceu na área da Resialentejo

Nos primeiros oito meses deste ano os habitantes de Moura separaram 305 toneladas de recicláveis, número que faz com que o concelho seja o segundo, entre todos os que integram a Resialentejo, onde a atividade tem registado maior crescimento.

De acordo com informação da Câmara Municipal de Moura, as 305 toneladas para reciclagem contabilizadas no concelho correspondem a um aumento de 21 por cento face a igual período do ano transato.

O projeto PAYT (recolha porta-a-porta) que em janeiro deste ano foi implementado na zona centro da cidade de Moura, tendo agora sido alargado ao bairro do Sete-e-Meio, foi uma das medidas que mais terá contribuído para o aumento verificado, informou o município.

A autarquia tem ainda no terreno um serviço de recolha de resíduos recicláveis no canal HORECA, bem como em todo o comércio. A opção pela adoção de um sistema de recolha de resíduos porta à porta visa o aumento da quantidade e qualidade dos materiais recolhidos seletivamente e, consequentemente, a diminuição dos quantitativos dos resíduos indiferenciados.

Segundo a edilidade, ainda este ano irá avançar a construção da Estação de Transferência de Recicláveis em Moura (Parque Industrial de Moura) com o investimento de quase 591 mil euros assegurado em 85 por cento pelo POSEUR e em 15 por cento pela Câmara Municipal de Moura. Este equipamento, que vai ser gerido pela Resialentejo EIM, servirá de apoio ao projeto PAYT (Pay as You Throw).

Trata-se de uma infraestrutura de extrema importância no sentido da valorização dos materiais recuperáveis presentes nos resíduos urbanos e será uma estrutura organizada, construída de raiz, contribuindo para uma maior satisfação da comunidade local e reduzindo os custos inerentes ao transporte de resíduos para o município.

No final do ano passado, foram instaladas 18 novas ilhas de ecopontos superficiais nas várias freguesias do concelho, para além de três novas ilhas subterrâneas na cidade, investimento também apoiado pelo POSEUR.