27. ª Mostra de Vinhos de Fernando Pó dá a provar néctares de excelência

Entre esta sexta-feira e domingo, Fernando Pó vai ficar na memória dos que apreciam a generosidade e genuinidade das gentes rurais. Produtores das freguesias de Poceirão e Marateca reúnem-se para brindar com vinho de qualidade.

A 27ª Mostra de Vinhos de Fernando Pó promete dar a conhecer às cerca de dez mil pessoas esperadas, o que de melhor se produz nas freguesias de Poceirão e Marateca, num evento que conta 21 produtores de vinho tinto e 16 de branco a concurso, através de provas cegas.

Andreia Brás, tesoureira da Associação Cultural e Recreativa de Fernando Pó, na conferência de apresentação do certame, que decorreu na Casa Mãe da Rota de Vinhos, em Palmela, revelou que, ano após ano, “tentamos, sempre, agarrar mais pessoas para visitar a festa, divertirem-se e comprarem os produtos aos nossos produtores, como os vinhos, mas, também, os doces e o pão caseiro, tudo com grande qualidade”.

“As pessoas só podem provar os vinhos no copo oficial da Mostra. Tem como objetivo contabilizar o número de entradas no certame e apurar receitas para a organização da festa”, explicou ao Semmais a responsável, que conclui: “Brindar com um copo de vidro é diferente do que brindar com um copo de plástico, e beber o vinho num copo de vidro o sabor é outro”.

Seis tasquinhas, onde os visitantes podem provar a Sopa Caramela, os enchidos e o Leitão do Poceirão, e onze pavilhões de adegas, mais dois do que no ano passado, que comercializam os vinhos, prometem fazer as delícias dos visitantes.

O município de Palmela e a União de Freguesias de Poceirão e Marateca atribuíram, respetivamente, 5 mil euros e 2.500 euros, enquanto a Caixa Agrícola Entre Tejo e Sado desembolsou 750 euros. A Casa Ermelinda de Freitas avançou com 2.500 euros. “Sem os apoios financeiros não conseguiríamos contratar os artistas para animar a Mostra, mas, o apoio logístico que nos deram, também é de louvar”. Além disso, a câmara “garantiu que irá climatizar o pavilhão, para não haver tanto calor”.

Já o presidente da câmara de Palmela, Álvaro Amaro, destacou os vinhos de “excelência” produzidos em Fernando Pó, onde abundam os extensos “jardins de vinhas”. “Estes vinhos competem com os maiores e o salto da produção a granel para a engarrafada tem sido notável com estes produtores”. Além disso, sublinhou que a Mostra é, também, um momento de “festividade e de auto estima” que promove o conceito de “aldeia vinhateira” e não apenas “um local de passagem”. A seu ver, é um evento de referência na região, com “genuinidade e autenticidade”.

Por sua vez, Cecília Sousa, presidente da União de Freguesias de Poceirão e Marateca, realçou que “grande parte” dos produtores destas freguesias “começaram a ganhar dimensão nesta Mostra”, dando a conhecer “os seus produtos de excelência que têm dado nome ao nosso território e às freguesias”.

Do programa constam, além das provas de vinhos, bailes, concertos, folclore, jazz, dança, zumba, alunos de guitarra, workshop do Pudim Caramelo, showcooking e Cante Alentejano.